Redação | Comercial
Agronegócio

Epamig oferece cursos sob demanda para formação de agricultores familiares

Agregar conhecimento e compartilhar novas tecnologias com o homem e a mulher do campo. Estes são os objetivos de cursos oferecidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) para capacitação de trabalhadores rurais, em mais uma iniciativa para o desenvolvimento da agricultura familiar no estado.

Na construção das atividades de capacitação, parcerias são estabelecidas com sindicatos e secretarias municipais de agricultura. Assim, o trabalho e a escolha dos conteúdos ministrados acontecem a partir da demanda local dos produtores rurais e das associações de agricultores.

“As associações recorrem à Epamig e, a partir do diálogo com sindicatos e Emater-MG, cursos, palestras e outras atividades são organizadas e disponibilizadas para os produtores”, afirma o coordenador do Campo Experimental da Epamig, em Itabira, Ivys Marlon Laje.

Além de ter acesso a novas técnicas e tecnologias, os “alunos” são orientações a exercer a função de multiplicadores do saber adquirido. Experiência que foi vivida pelos jovens Guilherme Santos e Gisely Oliveira na Semana do Produtor Rural de Itabira, no Território Metropolitano.

Promovido pelo Sindicato dos Produtores Rurais da cidade, o evento ofereceu, em três semanas, mais de 20 cursos aos agricultores da região. Sendo que nove desses, com foco nas áreas de apicultura, equinocultura e preservação ambiental, foram desenvolvidos no Campo Experimental, em Itabira.

Tendo em vista que o público beneficiado é prioritariamente da agricultura familiar, além de ceder espaço para as atividades práticas na Semana do Produtor Rural, a Epamig empenhou funcionários e garantiu o suporte necessário à realização dos cursos. Foram, em média, 12 participantes por turma.

Ao ingressar na turma do curso de recuperação de áreas degradadas, a estudante de Engenharia Ambiental e filha de produtores rurais, Gisely Oliveira destacou o movimento da Epamig para abrir portas ao acesso às novas tecnologias para os agricultores familiares.

“De modo prático, aprendemos a aplicar técnicas para recondicionar áreas que sofreram degradação e alteração e que seriam consideradas estéreis. A proteção do solo e da água é uma ação fundamental para o desenvolvimento das atividades, principalmente da agricultura”, reforça Gisely.

Domador e treinador de cavalos, Guilherme Santos afirma que cursos são fundamentais para o desenvolvimento da atividade rural. “É sempre bom aprender mais. Os professores tiram dúvidas e ajudam-nos a aprimorar o serviço”, diz. Guilherme participou da turma que obteve conhecimentos para o casqueamento de equinos.

(Via Agência Minas)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *