Redação | Comercial
Agronegócio

Exposição Estadual Agropecuária fecha 57ª edição com 66 mil visitantes

Parque da Gameleira recebeu cerca de 800 equídeos para a Exposição Estadual Agropecuária. Foto: Agência Minas

A Exposição Estadual Agropecuária encerrou sua 57ª edição no domingo (4), no Parque de Gameleira, em Belo Horizonte, com bons resultados de público e faturamento.

O evento recebeu 66 mil pessoas, contingente 20% maior que os 55 mil visitantes do ano passado. Os três leilões que venderam 81 lotes de mangalarga marchador, pampa, jumento pêga e pônei somaram vendas de R$ 975 mil, aumento de 11% ante R$ 874 mil  registrados em 2016.

A Exposição Estadual inovou neste ano e trouxe, além das apresentações e julgamentos de animais, a venda para os consumidores de produtos certificados da agroindústria como cachaças, queijos, doces e farinhas. O evento também resgatou a apresentação dos caprinos e ovinos e a miniusina para processamento de queijos e iogurtes que puderam ser degustados pelo público.

A programação contou, ainda, com a exposição mostrando a diversidade de flores tropicais e temperadas de Minas e de peixes ornamentais, aproveitando o potencial mineiro de maior produtor nacional deste tipo de peixe. Cursos técnicos e fazendinha com minianimais também fizeram parte da exposição neste ano.

“A exposição teve uma programação diversificada, que atraiu adultos e crianças. Isso contribuiu para que o evento fosse um sucesso de público e na divulgação do agronegócio mineiro. A partir de agora, vamos trabalhar na elaboração de um calendário anual forte para o setor e fazer do parque uma grande vitrine”, disse o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Leitão.

Lotado, o Parque da Gameleira, durante os quatro dias, incluiu produtores rurais, criadores, representantes de entidades do agronegócio, profissionais do setor e estudantes de áreas afins ao setor. A exposição ocorreu no parque recentemente revitalizado, com obras autorizadas pelo governador Fernando Pimentel, que demandaram recursos de aproximadamente R$ 4,36 milhões, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig).

(Via Agência Minas)

CLOSE
FECHAR