Redação | Comercial
Agronegócio

Incra formaliza criação de novo curso de Agronomia por meio do Pronera

A direção do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) assinaram, na última segunda-feira (22), o termo de execução descentralizado para abertura do curso de bacharelado em Agronomia por meio do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). A parceria foi formalizada em solenidade realizada em Iturama (MG).

O Incra repassará à Universidade R$ 1,8 milhão para as atividades pedagógicas e custeio dos alunos. Serão disponibilizadas 50 vagas destinadas a agricultores familiares, assentados da reforma agrária e quilombolas.

O diretor de Desenvolvimento de Projetos de Assentamento do Incra, Ewerton Giovanni dos Santos, observou que o curso é voltado especialmente a filhos de agricultores que poderão dar continuidade aos estudos.

“O Pronera é uma das ações das mais importantes que o Incra tem, uma política de educação no campo para a reforma agrária. É uma política específica de inclusão social, que permite aos assentados, sobretudo aos seus filhos, poderem pleitear uma vaga na escola, em curso técnico e em curso superior”, afirmou Santos, destacando os 19 anos de existência do Programa.

O diretor acrescentou que os educandos oriundos de áreas rurais acumulam o conhecimento prático de suas rotinas e apresentam bom desempenho acadêmico porque conhecem a realidade a ser estudada.

Para a reitora da UFTM, Ana Lúcia de Assis Simões, a parceria com o Incra por meio do Pronera amplia o acesso dos agricultores ao ensino superior. “É uma riqueza poder participar deste momento de formação e dar retorno à sociedade. Poder contribuir para que pessoas que, durante anos ficaram à margem do sistema educacional, agora têm a oportunidade de cursar uma universidade federal que prima pela excelência de seu trabalho e poderá contribuir para a melhoria da qualidade de vida dessas pessoas”.

Ana Lúcia ressaltou que o curso de Agronomia atende a necessidade da vocação agrária de Iturama e região. “A Universidade tem o papel de sair de seus muros. Entendemos que o curso vem contribuir para a qualificação das pessoas do meio rural e com o desenvolvimento social, econômico dessa região”, completou a reitora.

A graduação

As aulas teóricas e as práticas de campo ocorrerão na Escola Agrícola Municipal Alípio Soares Barbosa e laboratórios no campus da UFTM em Iturama. A duração prevista é de 68 meses. O processo seletivo dos alunos deve ocorrer nos próximos meses.

O curso é baseado nas diretrizes do Pronera, incluindo a metodologia da Pedagogia da Alternância, que prevê atividades divididas em tempo-escola e tempo-comunidade.

De acordo com o diretor-geral do campus universitário de Iturama, Fabrício Aníbal Corradini, as aulas serão concentradas em janeiro e fevereiro e em julho e agosto, correspondendo ao tempo-escola. “O tempo-comunidade é um período intervalar maior. Nossa equipe já está trabalhando para construir os projetos de extensão: nossos professores, junto com a Emater, estarão indo nos assentamentos verificar toda a técnica apreendida na parte teórica”.

Corradini informou, também, que a UFTM pretende adquirir a produção de alimentos dos próprios alunos. A intenção é comprar os itens, a preço de mercado, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar.

“Já que nossos alunos são filhos de agricultores e tem essa prática, a ideia é que eles consigam aperfeiçoar e melhorar sua produtividade e vender o excedente para nós”, explicou Corradini.

O projeto do curso de Agronomia conta com a parceria da Escola Agrícola, prefeitura e Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg).

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.