Redação | Comercial
Agronegócio

Parceria garante compras unificadas de produtos da alimentação escolar

Foto: Emater

A partir de setembro deste ano cerca de 1.500 gestores de 1.070 escolas de cinco Territórios de Desenvolvimento do Estado, priorizados na Estratégia de Enfrentamento da Pobreza no Campo, iniciam a segunda fase da capacitação do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para a gestão das compras da alimentação escolar.

O objetivo é que as instituições de ensino possam planejar as aquisições do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) em articulação com os produtores e agricultores familiares para, em 2018, com o lançamento da chamada pública para realização de compras unificadas, darem um grande salto qualitativo em direção à segurança alimentar dos estudantes da rede pública, bem como facilitar o acesso do pequeno produtor e agricultor familiar às compras institucionais.

A parceria do Governo de Minas Gerais com o Sebrae é uma inciativa da Secretaria de Estado de Educação (SEE) para o aprimoramento da gestão das compras da alimentação escolar. A ação faz parte do Projeto Sementes Presentes – Alimento e Trabalho no Campo, coordenado pela Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) que, além de atuar junto as escolas públicas, irá proporcionar aos agricultores familiares assistência técnica e insumos.

A consultoria teve início em maio, junto com o Circuito Alimentação, realizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda), Secretaria de Estado de Saúde, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater) e SEE, com a parceria da Fetaemg, onde são feitas oficinas de capacitação técnica para agricultores familiares, profissionais da rede estadual de ensino e técnicos de assistência técnica e extensão rural.

O Sebrae estenderá sua consultoria por um ano, intercalando o trabalho de formação com momentos de monitoramento e assessoria. “O objetivo do planejamento é possibilitar que todas as escolas de cada uma das Superintendências Regionais de Ensino desses Territórios façam compras unificadas”, explica Haroldo Santos, analista do Sebrae. Segundo ela, a partir de informações da Emater, que também integra o projeto, será possível conhecer o que está sendo produzido na região e, considerando outros fatores, como os recursos disponíveis, a sazonalidade dos produtos e orientações de uma nutricionista, será feita a chamada unificada. “Essa chamada pública para a compra coletiva pelas escolas, em um único dia, permitirá também a organização dos produtores para a entrega”, esclarece.

Para Haroldo Santos, o grande desafio para a efetividade da consultoria do Sebrae é a participação de 100% dos gestores escolares na formação. “O planejamento será realizado em equipe, durante a capacitação, por todos os envolvidos, por isso os gestores serão os fiéis da balança”, afirma.

(Via Agência Minas)

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.