conecte-se conosco

Cotidiano

Após 19 horas de julgamento, envolvidos em morte de grávida em Ituiutaba são condenados; mandante foi condenada em mais de 33 anos de reclusão

Publicado

em

Nesta quinta-feira, 21 de fevereiro, ocorreu no Tribunal do Júri no Fórum de Ituiutaba o julgamento de quatros pessoas acusadas pela morte de Greiciara Belo Vieira, de 19 anos, localizada morta em uma represa de Ituiutaba no dia 21 de agosto de 2016. A jovem, que estava grávida, teve a filha arrancada da barriga. 

Após cerca de 19 horas de julgamento, já na madrugada, após 2h, os jurados votaram e os réus tiveram as seguintes penas: Shirley de Oliveira Benfica – 33 anos e 7 meses reclusão – inicial fechado; Jacira Santos de Oliveira – 28 anos e 3 meses de reclusão – inicial fechado; Michel Nogueira de Oliveira – 25 anos e 9 meses de reclusão – inicial fechado e Luiz Felipe Morais – concedido o direito de responder em liberdade (absolvição).

Participaram da sessão sete jurados, um juiz de direito, um promotor de justiça, dois defensores públicos e três advogados.

Na sessão foram submetidos ao júri popular Shirley de Oliveira Benfica, (tida como mandante do crime); a enfermeira Jacira Santos de Oliveira; Luiz Felipe Morais e Michel Nogueira de Oliveira.

Shirley, Jacira, Luiz Felipe e Michel foram julgados por homicídio quadruplamente qualificado, ocultação de cadáver, sequestro qualificado e por exposição de perigo da vida da criança. Conforme o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), todos estão presos desde a época do crime e não podem aguardar o julgamento em liberdade.

Condenados anteriormente

Em julho de 2017, dois envolvidos na morte da jovem foram a júri popular. Em uma audiência que durou cerca de 11 horas, Lucas Mateus Silva (Mirele) foi condenado a 19 anos e oito meses de prisão, enquanto Jonathan Martins Ribeiro de Lima (Yasmin), a 25 anos e nove meses, ambos em regime fechado.

Morte

Conforme as investigações da Polícia Civil, Greiciara foi morta com requintes de barbárie. A jovem morava em Uberlândia quando, na madrugada do dia 19 de agosto de 2016, foi sequestrada pela quadrilha que tinha o intuito de tirar o bebê que ela esperava.

Segundo a polícia, a ex-garota de programa Shirley Benfica, apontada como a mandante do crime, simulava estar grávida com o intuito de manter o relacionamento com o namorado, residente em Araguari. Por isso, decidiu roubar a criança para seguir com a farsa.

Para colocar o plano em prática, Shirley pediu a ajuda de uma amiga travesti, conhecida como Mirela, que morava em Ituiutaba e era amiga de Greiciara. Para convencer Mirela a retirar a criança do útero da vítima, Shirley prometeu recompensá-la com dinheiro e um aparelho celular.

Conforme a polícia, Mirela foi para Uberlândia se encontrar com Shirley e, em seguida, as duas se dirigiram até uma casa no Bairro Santa Mônica, onde os outros réus estavam. Todos foram contratados pela mandante para cometer o crime, de acordo com o processo.

Sem desconfiar de nada, a vítima foi convencida por Mirela a ir até a casa no Bairro Santa Mônica sob a alegação de que possuía roupas para o enxoval da criança. No local, a vítima recebeu uma bebida com medicamento de indução ao sono. A investigação também aponta que os réus levaram a vítima para a zona rural de Ituiutaba, onde foi submetida ao procedimento cirúrgico para a retirada da criança.

Greiciara foi encontrada no dia 22 de agosto, morta dentro de uma represa, enquanto duas pessoas faziam trilha de bicicleta por uma estrada de terra. A vítima estava com os pés amarrados por um tecido e o corpo estava envolvido por uma tela de arame junto a uma pedra. Além disso, a grávida tinha o abdômen aberto e as vísceras expostas.

Em depoimento à polícia, os suspeitos disseram que a vítima ainda estava viva quando a criança foi retirada e que ela gritava de pânico e dor, apesar de estar dopada. O grupo foi preso e permanece no presídio de Ituiutaba aguardando o julgamento na comarca da cidade.

Criança ficou com a família

Ainda de acordo com as investigações, a recém-nascida foi localizada com vida na casa da vizinha de Shirley, onde havia sido deixada para que a suspeita pudesse ganhar tempo e fingir um parto. 

Segundo a polícia, a vizinha não teve participação no crime e, por isso, não foi indiciada.

A mãe de Greiciara conseguiu a guarda definitiva da neta após resultado do exame de DNA comprovando o parentesco.

Cotidiano

SAE disponibiliza canais para orientações ou reclamações sobre obras em andamento em Ituiutaba

Publicado

em

O trabalho socioambiental da Superintendência de Água e Esgoto – SAE está atuando com o intuito de reduzir os impactos que surgirão durante e após a conclusão das obras em andamento em Ituiutaba. Dúvidas ou reclamações podem ser feitas pelo plantão social.

A SAE está à disposição pelos seguintes meios: whatsapp (3268-0400 /9-9695-7853), site, instagram (@saeituiutaba), app mais água ou pelo facebook (Facebook.com/sae.Ituiutaba.MG)

SAE inicia obras de substituição de redes e ramais de água mais antigos de Ituiutaba

Continue lendo

Cotidiano

PMMG fornece orientações para participantes de carreata que pede abertura do comércio em Ituiutaba

Publicado

em

Foto: Reprodução

A Polícia Militar de Minas Gerais em Ituiutaba tomou conhecimento, através de redes sociais, que haverá uma carreata nesta sexta-feira, 27, às 10h, em manifestação sobre as questões relacionadas ao funcionamento do comércio em Ituiutaba.

O 54° BPM, visando orientar aqueles que participarão, recomenda e esclarece:

– A Polícia Militar estará com equipes acompanhando o andamento de tal manifestação para dar segurança aos que participarão e também aos demais usuários da vias;

– O Código de Trânsito estará sendo observado, portanto devendo os participantes tomarem as devidas precauções e alerta ao não descumprimento do mesmo;

– A observação do barulho excessivo nas proximidades de hospitais;

– Não transportar pessoas em compartimento de carga de veículos;

– Recomenda, orienta e solicita que tomem os devidos cuidados a não se envolverem em acidente que possam levar vítimas a internação, pois neste momento de crise relacionada a saúde, cada leito ocupado pode vir a causar um quadro ainda mais grave no sistema de saúde do município;

A PMMG está à disposição da comunidade ituiutabana em todos os seus seguimentos. Cabe a cada cidadão também tomar as medidas necessárias para que a sociedade se livre da crise o mais rápido possível.

A carreata

A carreata com buzinaço está marcada para começar hoje (27), às 10h, e a intenção dos organizadores é a retomada do trabalho, parcial e temporariamente interrompido em função de decretos municipais e estadual para o distanciamento social, forma de contenção do Coronavírus (Covid-19), que dissemina-se no país e no mundo, deixando vítimas.

A concentração ocorrerá na Praça Getúlio Vargas, no Centro de Ituiutaba. Movimentos semelhantes também acontecem em outras cidades e estados nesta sexta, 27.

Grupo de empresários e trabalhadores autônomos tijucanos enviarão propostas ao Executivo de Ituiutaba para reabertura do comércio

Continue lendo

Cotidiano

Covid-19: uso maior da internet requer mais cuidado com segurança

Publicado

em

Foto: Marcello Casal Jr

A revisora de textos e servidora pública aposentada brasiliense Cely Curado teve uma mudança grande de rotina nas últimas semanas. Em isolamento social por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19), ela conta que o tempo na internet triplicou: passou a ver mais filmes e ouvir mais música e começou a fazer cursos online por meio de plataformas criadas para este fim.

Esta é, hoje, a realidade de muitas pessoas. O recurso da internet vem crescendo para finalidades como o teletrabalho, a comunicação com parentes, amigos e colegas, a busca por informações e momentos de lazer no consumo de músicas e vídeos. Com isso, é preciso aumentar também os cuidados para evitar acessos indevidos, entrada de vírus ou golpes aplicados pela Web.

A empresa especializada em segurança da informação Kaspersky identificou na América Latina mais de 300 domínios maliciosos usados para envio de mensagens falsas e 35 para difundir malwares entre fevereiro e 15 de março.

Um exemplo foi uma mensagem com uma conta de álcool gel de mais de R$ 3 mil. Quem clicava tinha um cavalo de troia instalado, que permitia o acesso à máquina do usuário pelos autores do golpe. Isso permitia, por exemplo, a realização de pagamentos e outras movimentações bancárias.

Outro caso foi uma campanha falsa distribuída no WhatsApp que simulava um anúncio da plataforma de vídeo Netflix que oferecia acesso gratuito durante a pandemia do novo coronavírus. Quem clicava era direcionado a um site. O objetivo dos autores era obter cliques para ganhar dinheiro com os anúncios na página de destino.

Cuidados

O Comitê Gestor da Internet lançou um guia com dicas para manter um uso seguro da internet. Mensagens diversas, incluindo boatos com curas milagrosas ou novidades, podem ser uma armadilha para implantar um vírus ou um código malicioso no computador ou smartphone do usuário (acesse aqui – https://internetsegura.br/coronavirus/).

Os códigos maliciosos podem ser vírus (que entram no computador como parte de um programa ou copiando-se para dentro do dispositivo), cavalo de troia (programa que executa ações sem o usuário saber), “ransomware” (mecanismo que veta usar determinados dados do equipamento, cujo acesso em geral é condicionado a um “resgate”) e “backdoor” (programa que permite o acesso remoto ao equipamento do usuário) (veja a cartilha do CGI sobre o tema – https://cartilha.cert.br/fasciculos/codigos-maliciosos/fasciculo-codigos-maliciosos.pdf).

Outro perigo são mensagens pedindo informações sobre o usuário, como dados pessoais, financeiros e bancários. Também é o caso de aplicativos e sites que prometem fazer testes online visando atestar se a pessoa está ou não infectada. No caso dos apps, a recomendação do CGI é baixar sempre de lojas conhecidas, como as do sistema operacional do smartphone. “Ao instalar aplicativos, evite fornecer dados e permissões quando não forem realmente necessários”, acrescenta o documento do CGI.

Uma sugestão é evitar sites que não tenham o endereço com “https”. Este é o indicador de um protocolo mais seguro das páginas na web. Já no caso do acesso remoto ao sistema da empresa em caso de teletrabalho, o melhor é recorrer a redes privadas virtuais, ou VPNs, no jargão técnico.

Uma forma muito usada para violar a segurança de aparelhos é obter ou ultrapassar os sistemas de login. Por isso, o CGI recomenda a utilização do procedimento chamado “verificação em duas etapas”, que deixa mais complexo o acesso ao aparelho, evitando invasões. Uma cartilha específica foi publicada sobre o tema (acesse aqui – https://cartilha.cert.br/fasciculos/verificacao-duas-etapas/fasciculo-verificacao-duas-etapas.pdf).

Outra orientação é que o usuário busque sempre manter a cópia de reserva (back up) do aparelho em dia, pois uma invasão ou vírus pode danificar não somente o equipamento como os dados armazenados dentro dele. Além disso, a recomendação primária é manter os programas antivírus atualizados e realizar scanners nos computadores para verificar se foram infectados.

Existem ainda outras formas de golpes virtuais. Um exemplo são conteúdos solicitando doações para vítimas da doença. O governo federal já esclareceu que não realiza tal procedimento. As pessoas devem se certificar se a fonte do pedido tem credibilidade e promove esse tipo de ação assistencial.

“Infelizmente, existem pessoas mal-intencionadas que se aproveitam justamente do momento de incerteza pelo qual estamos passando para aplicar golpes e divulgar informações falsas, alerta Miriam von Zuben, analista de segurança do Centro de Estudo, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil (CERT.br).

Por isso, afirma Miriam, é importante que os usuários redobrem a atenção em relação às mensagens recebidas, como aquelas que oferecem aplicativos com informações sobre a doença, páginas que oferecem teste de infecção ou, ainda, aquelas que oferecem produtos que estão com procura alta no momento, como álcool gel.

Continue lendo

+ lidas