conecte-se conosco

Cotidiano

Ave rara é encontrada após 80 anos sem registros em Minas Gerais

Pássaros conhecidos como bicudos, criticamente ameaçados de extinção, foram vistos no Leste mineiro

Publicado

em

Novo registro alimenta esperança de repovoar o estado

O pássaro popularmente conhecido como bicudo (Sporophila maximiliani) foi avistado pela primeira vez, em vida livre, em Minas Gerais, após 80 anos sem ser identificada no estado. Apesar de comum em criatórios, essa espécie possui raros registros na natureza em todo país. Após quatro anos de busca, a ave foi avistada por um morador na região do leste mineiro no início deste mês. 

Uma equipe do Waita – Instituto de Pesquisa e Conservação, se deslocou imediatamente para o local, onde foi realizado o registro de três pássaros, um sozinho e um casal formando ninho. Considerada extinta em diversos estados, a espécie está criticamente ameaçada de extinção no Brasil, sendo um dos alvos do Plano de Ação Nacional para Aves da Mata Atlântica. 

Diante da situação, o Waita iniciou, em 2016, um programa de conservação do bicudo em Minas Gerais, com apoio da Fundação Grupo O Boticário de Proteção à Natureza em parceria com o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). As ações de conservação contam, ainda, com o apoio das universidades federais de Viçosa (UFV), de Ouro Preto (Ufop), da UFMG, do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e de criadores da espécie, devidamente autorizados.

A meta inicial do programa foi realizar buscas pela espécie em vida livre e coletar informações sobre comportamento, ecologia, caracterização genética e sanitária das populações em liberdade. Paralelamente, foram realizados estudos técnicos-científicos em cativeiro autorizado para conhecer melhor o bicudo, a fim de subsidiar um programa de conservação e reintrodução da espécie em Minas Gerais.

Morador do Leste mineiro, José Paulo dos Santos foi quem avistou o pássaro e entrou em contato com a equipe do projeto. Ele já havia auxiliado nas buscas pela espécie, em 2017, e já sabia da existência da ave na região, porque costumava vê-la nos arredores de brejos e lagos em que costumava pescar. “Desde então, virou uma questão de honra encontrar o bicudo”, diz. 

Bióloga do Waita e coordenadora do programa de conservação do bicudo, Alice Lopes ficou maravilhada ao avistar o animal. “Após quatro anos de buscas da espécie em vida livre, é uma alegria enorme poder vê-los vivendo em ambiente natural. Renova nossas energias e esperanças de que repovoem o Estado. Esse registro possibilitará diversos estudos comportamentais sobre habitat, alimentação e reprodução, que são praticamente inexistentes e serão fundamentais para subsidiar um futuro programa de reintrodução”, afirma.

A diretora de Proteção à Fauna do IEF, Liliana Nappi Mateus, ressalta que a redescoberta do bicudo, um animal que se acreditava extinto no ambiente natural, é um marco para a toda a sociedade, uma vez que reforça a responsabilidade comum de proteção a espécie, possibilitando que esses três indivíduos deixem de ser os únicos registros no estado. “Para o IEF essa redescoberta fortalece ainda mais o exercício da sua competência de promover a proteção, conservação e recuperação da fauna silvestre em Minas Gerais”, destaca. 

O analista ambiental do Ibama em Minas, Daniel Vilela, também frisou a importância do registro após 80 anos: “o bicudo sempre foi uma espécie naturalmente rara e sofreu muito com a captura e criação clandestina devido ao seu belo canto e a seu valor comercial. Poucas pessoas acreditavam que este reencontro em Minas Gerais fosse possível. Este novo registro alimenta a esperança de repovoar o estado”.

Cotidiano

Igam orienta sobre consumo consciente de água durante quarentena

Publicado

em

A pandemia do coronavírus impôs à sociedade mundial uma mudança brusca de comportamento. Além do isolamento social para conter a contaminação em massa da população e a sobrecarga do sistema de saúde, a higienização das mãos, superfícies e objetos, com água e sabão, precisou ser reforçada. O cuidado para não se infectar com o vírus, porém, deve vir acompanhado do uso consciente da água, evitando excessos e desperdícios, como orienta o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).

Nas duas primeiras semanas de quarentena, após o Governo de Minas decretar o fechamento do comércio, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), responsável pelo abastecimento de água de mais da metade da população mineira, informou que houve um “pequeno aumento” no consumo de água em Belo Horizonte e municípios da Região Metropolitana. O valor registrado, de 15 metros cúbicos por segundo, está dentro da média para a região, conforme a instituição.

O diretor de Planejamento e Regulação do Igam, Marcelo da Fonseca, alerta para a importância do uso consciente da água em um momento em que toda a população deve adotar a higienização contra o Covid-19. “Em situações extremas, de grande consumo, ou em regiões com baixa disponibilidade hídrica, o uso excessivo pode levar à necessidade de racionamento, comprometendo as medidas de higiene recomendadas”, explica.

Fonseca destaca, ainda, que o momento é de pôr em prática todas as dicas de redução de consumo indicadas ao longo dos anos. “Em especial a não utilização de água potável para atividades recreativas, como banhos de mangueira ou banhos demorados. Além de evitar utilizar água potável para limpeza de pisos”, acrescenta.

“O esforço coletivo que devemos realizar para superarmos juntos esta pandemia passa também pelo uso racional da água, de modo que todos possam ter acesso a esse recurso natural, especialmente para higienizar as mãos, que é a principal forma de proteção contra o coronavírus”, orienta a diretora-geral do Igam, Marília Melo.

Segundo a Copasa, o trabalho tem sido contínuo para disponibilizar água tratada para todos os municípios em que a empresa opera.

Veja dicas de redução de consumo de água:

•    Feche a torneira enquanto escova os dentes, ensaboa vasilhas e lava as mãos;

•    Tome banhos curtos;

•    Feche o chuveiro sempre que possível;

•    Não utilize a mangueira para limpeza de calçadas, veículos ou para regar as plantas;

•    Use a descarga com consciência e não jogue papel higiênico no vaso sanitário;

Higiene das mãos

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG), que adotou as normas prescritas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a higienização das mãos deve ocorrer com frequência utilizando água e sabão, por cerca de 20 segundos, principalmente após contato com superfícies em espaços públicos. Seguindo a mesma diretriz, a Sociedade Brasileira de Infectologia também orienta a limpeza da parte interna de veículos, superfícies e produtos comprados em supermercados, farmácias e afins. Caso não seja possível fazer o procedimento com água e sabão, é indicado o uso de álcool em gel 70%.

Continue lendo

Cotidiano

Startup doa 300 máscaras impressas em 3D para profissionais de Saúde e Segurança Pública de Ituiutaba

Publicado

em

Foto: CBMMG

Na tarde da última quinta-feira, 2 de abril, o 2º Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais em Ituiutaba recebeu a visita de diversos parceiros que realizaram a doação de protetores faciais de acetato para utilização em ocorrências durante o período de combate ao Coronavírus.

A startup Startey, com professores da Universidade Federal de Uberândia – UFU e a Secretaria Municipal de Educação, juntamente com demais parceiros da iniciativa privada, desenvolveram os protetores faciais com a utilização de tecnologia de impressão em 3D, seguindo os parâmetros da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA.

Além do CBMMG, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, Secretaria de Saúde de Ituiutaba e outras entidades também receberam os protetores faciais, também conhecidos como escudo ou shield.

Conforme o tenente Luiz Donizete, comandante do CBMMG em Ituiutaba, os produtos serão de grande importância no combate ao Coronavírus, oferecendo segurança, conforto e praticidade nos atendimentos. O CBMMG agradeceu a iniciativa da sociedade em prol do bem comum, unindo forças no combate ao vírus.

A iniciativa

A Startup Startey e instituições parceiras fabricaram e doaram máscaras impressas em 3D com injeção de plástico, para que elas possam ser utilizadas durante atendimento e procedimentos de Saúde em Ituiutaba.

Nesta primeira fase serão entregues 300 unidades. O material foi doado ao CBMMG, Secretaria de Saúde, SAMU e Sanatório José Dias Machado, além de outras instituições que cuidam de idosos.

A secretaria municipal de Educação de Ituiutaba e a Associação Comercial e Industrial Jovem também foram parcerias na importante ação para o município de Ituiutaba. Trata-se do uso da tecnologia em favor da saúde e do bem estar da classe profissional atuante nesta seara e que está na linha de frente da batalha contra a Covid-19.

Continue lendo

Cotidiano

Exames confirmam duas mortes por Covid-19 em Uberlândia

Publicado

em

Foto: HC/UFU

A Prefeitura de Uberlândia informou, na noite da última quinta-feira, 2 de abril, a confirmação dos primeiros óbitos por Coronavírus (Covid-19) no município. A primeira paciente era uma mulher de 61 anos, que estava internada no Hospital Municipal. A prova e contraprova da presença do Coronavírus foram atestadas pelo laboratório Check-up e pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). Também foi confirmado pelo laboratório Check-Up o resultado positivo para Covid-19 em uma segunda vítima, um homem de 80 anos, que faleceu no dia 30 de março.

A nota foi atualizada às 22h58 do dia 2 de abril de 2020.

Até a tarde da última quinta-feira, 3, Uberlândia registrava 1.368 casos suspeitos da doença, com 24 confirmados. Além disso, sete óbitos estavam em investigação e dois haviam sido descartados. Os dados da prefeitura apontavam ainda um total de 64 pacientes internados com sintomas da doença.

Continue lendo

+ lidas