Cotidiano

CBMMG realiza Curso de Reciclagem de Mergulho Autônomo; ação envolveu BMs de Ituiutaba e Araguari

Foto: CBMMG

Na última sexta-feira, 31 de outubro, o 2° Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais em Ituiutaba concluiu o Curso de Reciclagem de Mergulho Autônomo com militares de Ituiutaba e Araguari.

Com o objetivo de promover a constante capacitação, o treinamento neste ano relembrou as técnicas e perigos da atividade de mergulho e apneia, além de trazer novas doutrinas e a apresentação de equipamentos avançados. Cabe ressaltar que na região do Triângulo Mineiro o risco da atividade é agravada devido à falta de visibilidade dos rios e a presença de galhadas e adversidades.

Com isso, toda a equipe repassou por atividades básicas previstas em toda reciclagem, que vão desde aulas teóricas sobre doenças descompressivas, efeitos da pressão sobre o corpo humano e objetos, anatomia, hipotermia, traumas, toxidade por gases, reflutuação de objetos, legislação operacional, segurança e planejamento de mergulho, até as aulas práticas, como atividades de aperfeiçoamento de apneia estática e dinâmica, adequação aos materiais, nado equipado, navegação por instrumentos, recuperação de equipamento, técnicas de buscas, mergulho livre, resgate de mergulhador e administração de pane e stress emocional, além de outras.

Além disso, os militares receberam instrução sobre máscaras de mergulho FullFace, que permitem a respiração de ar comprimido sem a necessidade de pressionar com a boca a válvula de segundo estágio, o que evita o afogamento do mergulhador em caso de apagamento, já que não haveria o risco do respirador sair da boca do mergulhador nessa situação. Ademais, essas máscaras possuem sistema de fonia, permitindo a comunicação verbal entre a equipe no fundo e a equipe de solo, trazendo assim maior segurança e eficiência nas operações submersas.

Para complementar a instrução, os bombeiros militares que concluíram o Estágio de Manutenção de Equipamento de Mergulho no Centro de Instrução de Engenharia (CI Eng), pertencente ao 2º Batalhão Ferroviário de Engenharia na cidade de Araguari, difundiram os conhecimentos adquiridos no curso que teve duração de 2 semanas.

Os instrutores explicam que, diferente da atividade de mergulho recreativa, o trabalho na nossa região é extremamente adverso, sem as condições ideais vivenciadas por outros profissionais. Como exemplo, citam a presença de correnteza, galhos, linhas de pescadores, rebojo, turbilhões, turvidez, suspensões na água e inúmeros fatores imprevisíveis. Por isso, os militares passam por um treinamento exaustivo e diferenciado, como a submersão sem a válvula de 2° estágio do cilindro de mergulho, aliada a situações de pane simuladas.

Toda essa dinâmica tem por objetivo melhorar o atendimento do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais à população mineira, oferecendo respostas rápidas e eficientes para todo tipo de situação. Em caso de emergência, disque 193. Amigo certo nas horas incertas!

Foto: CBMMG
Foto: CBMMG

Mais Lidas

To Top