conecte-se conosco

Cotidiano

Confira destinos de Minas que prometem um Carnaval inesquecível

De Norte a Sul do estado, há opções para quem quer curtir a festa ou relaxar no feriado

Publicado

em

Já é Carnaval em Minas Gerais, principalmente na capital, onde a fama dos blocos e a alegria dos foliões vêm atraindo visitantes e público local para as ruas desde o dia 8 de fevereiro. Mas, em outras cidades e regiões do estado, programação e oferta de passeios para o feriado também prometem. Há, por exemplo, programas para quem gosta de animação e também para quem prefere curtir a folga longe da folia.

Confira, a seguir, algumas opções de roteiros com atrações e infraestrutura adequada para todos os estilos de visitantes.

Folia de Norte a Sul

Para ficar por dentro da programação de Carnaval gratuita em todo o estado, dica é conferir a página especial criada pelo Portal Minas Gerais, que é coordenado pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult). O endereço é atualizado regularmente.

Por enquanto, Pirapora, na região Norte, é a cidade que teve o calendário de eventos de Carnaval mais acessado. O município vai realizar o Pira Folia 2020.  Entre os dias 21 e 25 de fevereiro, na Orla Fluvial da cidade, às margens do Rio São Francisco, haverá desfiles dos blocos caricatos Soltinho na Pista, Kabanacana, Comercial, Melhor Idade, Miga Sua Loka, Bloco do Burrão e Vitão.

Além dos desfiles, haverá matinê para as crianças, shows e barracas para comercialização de alimentos e bebidas. A organização disponibiliza estrutura de banheiros químicos e pontos de apoio para ambulância e segurança. O município está a 349 km da capital mineira.

Já no Sul do estado, uma das opções é São Lourenço. Localizada a 386 km de Belo Horizonte, é o segundo colocado no ranking de busca de informações sobre a folia de Momo no portal Minas Gerais. O carnaval local é realizado no estacionamento do Parque das Águas e em outros pontos, com atrações como som de marchinhas, shows de samba e desfiles de blocos caricatos. O tradicional Bloco do Pijama desfila na noite de sexta-feira, 21/2, e a expectativa é de que participem cerca de 25 mil pessoas, público de cidades próximas e de outros estados.

Zona da Mata

Na Zona da Mata, o município de São João Nepomuceno, distante 308 km da capital mineira, abre a folia a partir de quinta-feira (19/2), com agenda de atrações que segue até a terça-feira de Carnaval (25/2). A abertura da programação oficial fica por conta do Bloco do Zé Pereira e, nos dias seguintes, estão previstos shows, desfile de blocos, de escolas de samba, matinês e baile da melhor idade em diversos pontos da cidade.

Em Mar de Espanha, também na Zona da Mata, o CarnaMaresp conta com desfiles de diversos blocos tradicionais da cidade, entre eles Mula de Bigode, Papai Frenético, Extintor, Caipirinha e Gaiola. Há, ainda, o cortejo do Zé Pereira e a apresentação da banda Furiosa, duas manifestações culturais já antigas no município. O ponto central é a Praça Barão de Ayuruoca.

Região Central

Distante apenas 60km da capital, Itabirito tem o carnaval como a festividade mais antiga. Entre as atrações da Itabirito Folia 2020, programadas para 20 a 26/2, há desfiles de blocos caricatos como Urucum e Gaiola das Loucas, blocos sonorizados, trios elétricos, cortejo do Zé Pereira e apresentação das tradicionais bandas Bandalheira e Banda-Ré-Sem-Dó. A rica decoração já esperada de todos os anos para a receber a corte momesca será assinada pelo artista plástico Walter Martins.

O Carnaval de Catas Altas também promete, com programação de sábado a terça-feira (22 a 25/2). A concentração é na Praça Monsenhor Mendes, em que os foliões poderão curtir shows, bandas de marchinha, cortejo de blocos e muita alegria. Catas Altas está a 122 km da capital mineira.

Cidades históricas

Ouro Preto e Mariana já se consolidaram como cidades anfitriãs de animados carnavais. Neste ano, as atrações prometem fazer jus à fama. No tradicional centro histórico de Ouro Preto haverá o Carnaval Patrimônio 2020, festividade especialmente programada para comemorar os 40 anos do título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. O tema será “Jacubas e Mocotós”, em homenagem a uma antiga disputa que começou há séculos e é uma memória afetiva entre os moradores do município.

Para receber o público, os organizadores planejaram uma estrutura que inclui quatro palcos distribuídos entre a Praça Tiradentes, o Largo do Cinema, o Largo da Alegria e o Orlando Trópia, com shows gratuitos. Além dos já esperados desfiles dos blocos caricatos e universitários, haverá também os desfiles das Escolas de Samba. O público esperado é de cerca de 50 mil pessoas.

Em Mariana, a folia começou mais cedo, no dia 14/2 e vai até o dia 25/2. O Centro Histórico é o ponto de concentração da folia, planejada para agradar a todos os públicos. Na agenda, apresentação de artistas locais e de outras cidades, blocos caricatos, cortejo do Zé Pereira da Chácara e desfile da Charanga Oi’Tô Tonto. O tema da folia é “Alegria, alegria, as Gerais começam aqui”, em homenagem ao ano em que Minas Gerais completa seu tricentenário.

Perto da natureza

Mesmo em cidades em que há programação de Carnaval é possível encontrar refúgios para o descanso. Um exemplo é Aiuruoca, no Sul de Minas, paraíso situado a 416 km de Belo Horizonte e a 368 km de São Paulo. Lá, geralmente a data é comemorada uma semana antes do calendário tradicional e durante o feriado é possível curtir o sossego característico de uma cidade pequena do interior. O município abriga cachoeiras, corredeiras, picos, montanhas e uma rica e preservada Mata Atlântica. Um dos atrativos mais procurados e visitados é o Pico do Papagaio, formação rochosa a 2,1 mil metros de altitude, que termina em uma grande piscina natural, de águas cristalinas.

Em Luminárias, a cerca de 288 km da capital, as magníficas cachoeiras e cavernas em quartzito proporcionam ambientes tranquilos ao mesmo tempo em que oferecem locais propícios à prática de esportes radicais como rapel, escalada, trekking, enduro, boiacross, mountain biking e montanhismo. Dentre os inúmeros atrativos turísticos destacam-se o complexo da Serra Grande, as cachoeiras da Pedra Furada e do Mandembe e a estátua do Cristo, no morro do Cruzeirinho.

Uma região famosa pelos atrativos naturais e pela rica gastronomia, a Serra da Canastra, no Centro-Oeste mineiro, tem mais de 200 mil hectares e abrange seis municípios: São Roque de Minas, Vargem Bonita, Delfinópolis, São João Batista do Glória, Capitólio e Sacramento. O destino é privilegiado para a prática de esportes radicais, vivência ambiental e turismo de natureza.

O Parque Nacional da Serra da Canastra é um dos principais atrativos e abriga a nascente do rio São Francisco, um dos mais importantes rios do Brasil. Merece destaque a cachoeira Casca d’Anta, com cerca de 180 metros de extensão. Todo este cenário pode ser desbravado com caminhadas pelas trilhas da Serra da Canastra, nas quais é possível observar uma rica variedade de vida silvestre.

A região também é reconhecida pela produção de queijos, cujos produtores levaram várias medalhas Ouro e Super Ouro no último concurso mundial, realizado na França, em junho de 2019. O Queijo da Canastra é nacionalmente famoso e teve seu modo de preparo reconhecido desde 2008 como Patrimônio Cultural Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Acesse mais dicas de roteiros turísticos para o Carnaval 2020 no portal Minas Gerais.

Cotidiano

SAE disponibiliza canais para orientações ou reclamações sobre obras em andamento em Ituiutaba

Publicado

em

O trabalho socioambiental da Superintendência de Água e Esgoto – SAE está atuando com o intuito de reduzir os impactos que surgirão durante e após a conclusão das obras em andamento em Ituiutaba. Dúvidas ou reclamações podem ser feitas pelo plantão social.

A SAE está à disposição pelos seguintes meios: whatsapp (3268-0400 /9-9695-7853), site, instagram (@saeituiutaba), app mais água ou pelo facebook (Facebook.com/sae.Ituiutaba.MG)

SAE inicia obras de substituição de redes e ramais de água mais antigos de Ituiutaba

Continue lendo

Cotidiano

PMMG fornece orientações para participantes de carreata que pede abertura do comércio em Ituiutaba

Publicado

em

Foto: Reprodução

A Polícia Militar de Minas Gerais em Ituiutaba tomou conhecimento, através de redes sociais, que haverá uma carreata nesta sexta-feira, 27, às 10h, em manifestação sobre as questões relacionadas ao funcionamento do comércio em Ituiutaba.

O 54° BPM, visando orientar aqueles que participarão, recomenda e esclarece:

– A Polícia Militar estará com equipes acompanhando o andamento de tal manifestação para dar segurança aos que participarão e também aos demais usuários da vias;

– O Código de Trânsito estará sendo observado, portanto devendo os participantes tomarem as devidas precauções e alerta ao não descumprimento do mesmo;

– A observação do barulho excessivo nas proximidades de hospitais;

– Não transportar pessoas em compartimento de carga de veículos;

– Recomenda, orienta e solicita que tomem os devidos cuidados a não se envolverem em acidente que possam levar vítimas a internação, pois neste momento de crise relacionada a saúde, cada leito ocupado pode vir a causar um quadro ainda mais grave no sistema de saúde do município;

A PMMG está à disposição da comunidade ituiutabana em todos os seus seguimentos. Cabe a cada cidadão também tomar as medidas necessárias para que a sociedade se livre da crise o mais rápido possível.

A carreata

A carreata com buzinaço está marcada para começar hoje (27), às 10h, e a intenção dos organizadores é a retomada do trabalho, parcial e temporariamente interrompido em função de decretos municipais e estadual para o distanciamento social, forma de contenção do Coronavírus (Covid-19), que dissemina-se no país e no mundo, deixando vítimas.

A concentração ocorrerá na Praça Getúlio Vargas, no Centro de Ituiutaba. Movimentos semelhantes também acontecem em outras cidades e estados nesta sexta, 27.

Grupo de empresários e trabalhadores autônomos tijucanos enviarão propostas ao Executivo de Ituiutaba para reabertura do comércio

Continue lendo

Cotidiano

Covid-19: uso maior da internet requer mais cuidado com segurança

Publicado

em

Foto: Marcello Casal Jr

A revisora de textos e servidora pública aposentada brasiliense Cely Curado teve uma mudança grande de rotina nas últimas semanas. Em isolamento social por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19), ela conta que o tempo na internet triplicou: passou a ver mais filmes e ouvir mais música e começou a fazer cursos online por meio de plataformas criadas para este fim.

Esta é, hoje, a realidade de muitas pessoas. O recurso da internet vem crescendo para finalidades como o teletrabalho, a comunicação com parentes, amigos e colegas, a busca por informações e momentos de lazer no consumo de músicas e vídeos. Com isso, é preciso aumentar também os cuidados para evitar acessos indevidos, entrada de vírus ou golpes aplicados pela Web.

A empresa especializada em segurança da informação Kaspersky identificou na América Latina mais de 300 domínios maliciosos usados para envio de mensagens falsas e 35 para difundir malwares entre fevereiro e 15 de março.

Um exemplo foi uma mensagem com uma conta de álcool gel de mais de R$ 3 mil. Quem clicava tinha um cavalo de troia instalado, que permitia o acesso à máquina do usuário pelos autores do golpe. Isso permitia, por exemplo, a realização de pagamentos e outras movimentações bancárias.

Outro caso foi uma campanha falsa distribuída no WhatsApp que simulava um anúncio da plataforma de vídeo Netflix que oferecia acesso gratuito durante a pandemia do novo coronavírus. Quem clicava era direcionado a um site. O objetivo dos autores era obter cliques para ganhar dinheiro com os anúncios na página de destino.

Cuidados

O Comitê Gestor da Internet lançou um guia com dicas para manter um uso seguro da internet. Mensagens diversas, incluindo boatos com curas milagrosas ou novidades, podem ser uma armadilha para implantar um vírus ou um código malicioso no computador ou smartphone do usuário (acesse aqui – https://internetsegura.br/coronavirus/).

Os códigos maliciosos podem ser vírus (que entram no computador como parte de um programa ou copiando-se para dentro do dispositivo), cavalo de troia (programa que executa ações sem o usuário saber), “ransomware” (mecanismo que veta usar determinados dados do equipamento, cujo acesso em geral é condicionado a um “resgate”) e “backdoor” (programa que permite o acesso remoto ao equipamento do usuário) (veja a cartilha do CGI sobre o tema – https://cartilha.cert.br/fasciculos/codigos-maliciosos/fasciculo-codigos-maliciosos.pdf).

Outro perigo são mensagens pedindo informações sobre o usuário, como dados pessoais, financeiros e bancários. Também é o caso de aplicativos e sites que prometem fazer testes online visando atestar se a pessoa está ou não infectada. No caso dos apps, a recomendação do CGI é baixar sempre de lojas conhecidas, como as do sistema operacional do smartphone. “Ao instalar aplicativos, evite fornecer dados e permissões quando não forem realmente necessários”, acrescenta o documento do CGI.

Uma sugestão é evitar sites que não tenham o endereço com “https”. Este é o indicador de um protocolo mais seguro das páginas na web. Já no caso do acesso remoto ao sistema da empresa em caso de teletrabalho, o melhor é recorrer a redes privadas virtuais, ou VPNs, no jargão técnico.

Uma forma muito usada para violar a segurança de aparelhos é obter ou ultrapassar os sistemas de login. Por isso, o CGI recomenda a utilização do procedimento chamado “verificação em duas etapas”, que deixa mais complexo o acesso ao aparelho, evitando invasões. Uma cartilha específica foi publicada sobre o tema (acesse aqui – https://cartilha.cert.br/fasciculos/verificacao-duas-etapas/fasciculo-verificacao-duas-etapas.pdf).

Outra orientação é que o usuário busque sempre manter a cópia de reserva (back up) do aparelho em dia, pois uma invasão ou vírus pode danificar não somente o equipamento como os dados armazenados dentro dele. Além disso, a recomendação primária é manter os programas antivírus atualizados e realizar scanners nos computadores para verificar se foram infectados.

Existem ainda outras formas de golpes virtuais. Um exemplo são conteúdos solicitando doações para vítimas da doença. O governo federal já esclareceu que não realiza tal procedimento. As pessoas devem se certificar se a fonte do pedido tem credibilidade e promove esse tipo de ação assistencial.

“Infelizmente, existem pessoas mal-intencionadas que se aproveitam justamente do momento de incerteza pelo qual estamos passando para aplicar golpes e divulgar informações falsas, alerta Miriam von Zuben, analista de segurança do Centro de Estudo, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil (CERT.br).

Por isso, afirma Miriam, é importante que os usuários redobrem a atenção em relação às mensagens recebidas, como aquelas que oferecem aplicativos com informações sobre a doença, páginas que oferecem teste de infecção ou, ainda, aquelas que oferecem produtos que estão com procura alta no momento, como álcool gel.

Continue lendo

+ lidas