Cotidiano

Minas tem pelo menos 24 trechos de rodovias interditados ou com restrição

Dirigir na MG-20, que liga BH a Santa Luzia, exige habilidade do motorista (Foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)

A saída para as festas de Natal e Ano-Novo vão exigir a atenção redobrada dos motoristas. Minas Gerais tem ao menos 24 trechos de rodovias totalmente interditados ou com restrição no tráfego. Os principais motivos são erosões, abatimento da pista e problemas estruturais em pontes. Para complicar ainda mais, com a incidência da chuva, o desgaste do asfalto já é visível e se torna um desafio extra. Esse é o caso da BR-381, uma das rotas preferidas dos mineiros que vão para Espírito Santo e conhecida como Rodovia da Morte devido aos graves acidentes que marcam a via. Além do traçado sinuoso, as obras de duplicação e o tráfego intenso, buracos na pista aumentam o risco de batidas. Medidas para minimizar as avarias já foram tomadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), mas o perigo continua visível.

Os sinais de desgastes aparecem na BR-381 logo na saída de Belo Horizonte. Em Caeté, caminhões vão para o acostamento para desviar das avarias. No km 429, uma depressão no asfalto surgiu depois de dias de chuva. Segundo o Dnit, dispositivos de drenagem ficaram sobrecarregados, provocando o problema estrutural. Para a realização do reparo no local, o trânsito teve que ser totalmente interditado por mais de uma hora.

As avarias estão espalhadas por outros trechos da rodovia. Seguindo em direção ao Espírito Santo, é fácil passar por buracos, alguns deles até profundos e em sequência, o que exige uma certa habilidade dos motoristas. A reportagem flagrou ao menos três veículos parados no acostamento com problemas nas rodas depois de passarem pelas deformações na pista.

“A regra é redobrar a atenção em todas as rodovias. Principalmente por causa da chuva. Há perspectiva do Natal e Ano-Novo com muito movimento nas estradas”

Inspetor Aristides Júnior, chefe do núcleo de comunicação da Polícia Rodoviária Federal

Depois da BR-381, quem segue para o Espírito Santo trafega pela BR-262. Lá, a situação é a mesma. Buracos nos dois sentidos da via. As avarias estão em diferentes pontos: nas retas, curvas e após pontes. No km 150, em Vargem Linda, distrito de São Domingos do Prata, na Região Central de Minas Gerais, pequenos desgastes no asfalto são seguidos por um buraco de aproximadamente 40 centímetros de diâmetro. Alguns veículos chegam a invadir a pista contrária para desviar.

Por meio de nota, o Dnit afirmou que as duas rodovias têm contratos de manutenção. Na BR-262, os trabalhos serão realizados nos próximos dias. Já na BR-381, os serviços já estão sendo feitos, como em Caeté, onde equipes conseguiram sanar o problema. Entre as rodovias federais, a BR-116, no km 714 em Muriaé, na Região da Zona da Mata, segue parcialmente interditada devido ao deslizamento de terra durante um temporal. Ela ficou cinco dias fechada e só foi aberta depois de estabilização do terreno por meio de explosão de rochas. A solução definitiva vai ser dada depois da contratação de um serviço emergencial para limpeza e reconstrução da pista pelo Dnit.

Na BR-262, que leva ao Espírito Santo, chuvas abriram crateras no km 150
(Foto: Ramon Lisboa/EM/DA Press – 6/12/17)

A BR-367, entre Almenara e Jacinto, na Região do Vale do Jequitinhonha, ficou fechada devido a problemas em uma ponte no km 81. O trânsito foi liberado na sexta-feira. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o temporal que atingiu a região foi o que provocou os danos estruturais. Além disso, a corporação informou que a rodovia também tem buracos entre Padre Paraíso e Itaobim.

Ontem mesmo, buracos foram flagrados, que aumentaram depois das recentes chuvas, na BR-251, no trecho entre Montes Claros e Francisco Sá, e no entrocamento dessa estrada com Janaúba e a rodovia MGT 122. Ligação entre a maior cidade do Norte de Minas e a rodovia Rio-Bahia (BR-116), a BR-251 tem maior movimento justamente no fim e começo de ano, sendo muito usada por motoristas que viajam em direção às praias do litoral Sul baiano, especialmente Porto Seguro e Ilhéus. No mesmo trecho, a 10 quilômetros de Montes Claros, o asfalto cedeu por problema de infiltração de água e passa por reforma.

Buraco no entroncamento da MG-122 com a BR-251, usada por quem vai à Bahia
(Foto: Luiz Ribeiro/EM/DA/Press)

Na rodovia MGT 122, os buracos também aumentaram depois das últimas chuvas. Crateras no trecho entre o entrocamento com a BR 251 e Janaúba, próximo ao km 441, viraram tortura para os motoristas. “Praticamente todos dias, carros quebram rodas e têm pneus danificados nesse trecho por causa da buraqueira”, afirma um motorista que sempre viaja de Montes Claros para Janaúba. A MGT 122 dá acesso a Espinosa, indo até a divisa com a Bahia. Também é usada por motoristas que viajam em direção ao litoral Sul da Bahia.

Grande BH

Não é preciso ir tão longe para detectar os problemas nas estradas. A MG-020, que liga Belo Horizonte a Santa Luzia, na região metropolitana, exige a atenção e habilidade do motorista. Buracos de até um metro de diâmetro podem ser vistos na via. Como na rotatória do Megaspace, onde há diversas avarias em sequência. Os motoristas têm que reduzir a velocidade, o que gera lentidão no trânsito e eleva o risco de acidentes.

O Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG) afirmou que realiza conservação rotineira na via, como serviços de tapa-buraco, capina, roçada da faixa de domínio, limpeza do sistema de drenagem e manutenção da sinalização vertical (placas). O órgão é responsável pela rodovia no trecho que compreende os km 10 ao 15,9 e do km 35 ao 62. Por isso, a manutenção da via próximo ao Megaspace é de responsabilidade da Prefeitura de Santa Luzia. A reportagem tentou contato com a administração municipal, sem sucesso.

ALERTA  
As avarias nas estradas aumentam os riscos de acidentes. O inspetor Aristides Júnior, chefe do núcleo de comunicação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), afirma que o ideal é os motoristas viajarem de dia. “Preferencialmente, pois assim conseguem ver os buracos. À noite, não dá para ver e podem ocorrer acidentes”, explicou. A preocupação é com a previsão de chuva durante os feriados deste fim de ano. “A regra é redobrar a atenção em todas as rodovias. Principalmente por causa da chuva. Há perspectiva do Natal e Ano-Novo com muito movimento nas estradas”, concluiu. (Colaborou Luiz Ribeiro)

Foto: Arte EM
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR