Destaque

Apenas 50% da população tijucana está imunizada contra a febre amarela

Em entrevista à reportagem do Pontal em Foco, o Secretário Municipal de Saúde, Dr. Elias Hércules revelou que cerca de 50% da população está imunizada contra a febre amarela em Ituiutaba. A entrevista foi transmitida ao vivo pelo facebook do Pontal em Foco, e o secretário revelou que, este ano, após as notícias de pessoas contaminadas com a doença em algumas cidades no interior de Minas Gerais (Na região do Vale do Jequitinhonha), a procura pela imunização aumentou em Ituiutaba. “Em todo o ano de 2016 foram vacinadas contra a febre amarela apenas 800 pessoas. Já, este ano, somente em janeiro, foram vacinadas 3.200 pessoas. Ou seja, a população de fato se preocupa quando a ameaça bate a porta”, afirma.

A vacina está no calendário de vacinação do Ministério da Saúde, e é preciso tomar duas doses da imunização.”No esquema básico, sem ameaça de epidemia, a criança toma um dose no primeiro ano de vida e, o reforço, após 10 anos. Com essas duas doses ela está imune e com anticorpos suficientes para protegê-la para o resto da vida”, esclarece.

Ele fala que vacina contra a febre amarela é de vírus vivo (atenuado) e, por isso, tem certas restrições para pacientes como gestantes, pessoas com mais de 60 anos, pacientes imunodeprimidos e pacientes com doenças consumptivas, ou seja, doenças que tornam o organismo vulnerável. “Agora, durante um surto de febre amarela, modifica-se a conduta. Aí cabe ao médico avaliar a necessidade de um reforço”.

Ele explica que a febre amarela foi classificada em dois tipos, o que vai depender do mosquito transmissor: a febre amarela silvestre e a urbana. No caso da silvestre, ela é transmitida pelo mosquito fêmea da espécie Haemagogus, em que o habitat natural é a copa de árvores, somente na zona rural.

Já, a febre amarela urbana é transmitida pelo Aedes aegypti. Os casos de febre amarela que surgiram em cidades do interior de Minas Gerais são de febre amarela silvestre. “Há décadas que não é registrado no Brasil nenhum caso de febre amarela urbana. Mas isso não significa que não está suscetível de acontecer. É uma série de fatores. A pessoa viajou para a área rural, não estava vacinada, foi contaminada e depois veio para a cidade. Essa pessoa doente é picada pela fêmea do Aedes e aí, teremos o mosquito contaminado, que poderá transmitir essa doença a outras pessoas”, explica.

“Por isso a importância de a população procurar um dos 11 postos de saúde do município para a imunização. Além disso, é imprescindível que a população faça sua parte, e combata o Aedes aegypti que, é transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e da febre amarela urbana”, reforça. Conforme o secretário, no primeiro LIRAa  (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti) de 2017, foi contatado índice de infestação de 4,5. Ou seja, a cada 200 residências, 9 tinham foco do mosquito. “E a situação é ainda mais grave, uma vez que a maioria desses focos está dentro das residências. É uma questão de limpeza, em que o morador tem que fazer a sua parte, de não deixar água parada e eliminar os possíveis criadouros do mosquito dentro da sua casa”, alerta.

Conforme dados da Gerência Regional de Saúde (GRS), somente este ano, foram enviadas para Ituiutaba 47.500 doses da vacina contra a febre amarela.

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top