Destaque

Sindicato afirma que a PCMG está em greve; confira a situação em Ituiutaba

Segundo informações do Estado de Minas, a greve anunciada pelo Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (Sindpol/MG) começou na manhã desta segunda-feira (20), segundo os representantes da categoria. De acordo com o diretor administrativo financeiro do sindicato, José Maria de Paula, já estão chegando comunicados de unidades com apenas 30% do pessoal trabalhando.

Fiz contato com cidades do interior, como Divinópolis, Uberaba, Uberlândia, Juiz de Fora e Montes Claros, além de Vespasiano e Nova Lima e recebi notícias que a paralisação começou às 8h30 de hoje”, afirma o diretor.

Segundo a chefia da Polícia Civil, durante o movimento grevista é “obrigatória a manutenção de serviços essenciais, especialmente o recebimento de todos os casos de flagrante e termo circunstanciado de ocorrência (TCO), devendo ser observados os milites legais existentes para este tipo de movimento”, diz a corporação em nota. A assessoria da PC informou que não vai repassar dados sobre o tamanho da adesão à paralisação.

A categoria exige equiparação dos salários de investigadores e escrivães aos vencimentos dos peritos, além da equiparação dos valores recebidos por delegados aos valores dos defensores públicos. Outra questão importante levantada pelos sindicalistas é o não pagamento do auxílio vestimenta, que deveria ter sido pago na folha de abril. Porém, isso ainda não aconteceu, enquanto os policiais militares já receberam o mesmo benefício.

SITUAÇÃO EM ITUIUTABA De acordo com informações da Polícia Civil de Ituiutaba, uma assembleia geral está acontecendo em Belo Horizonte e os servidores da PC na cidade estão aguardando as diretrizes da greve. Com isso, o atendimento ao público continua normal. Se confirmada a participação na greve, o atendimento poderá ser reduzido em 30%.

1 comentário

1 comentário

  1. Arli Lopes de Araujo

    21 de junho de 2016 às 16:49

    A greve fortalece a categoria. Só assim, tivemos(TJMG) nossa data-base 2015, ainda que atrasada, porém resolvida. LUTA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top