Destaque

UFU assina acordo e estreita laços acadêmicos com Moçambique

O acordo internacional de cooperação acadêmica entre a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e a Universidade de Lúrio, em Moçambique, foi assinado nesta primeira quinzena de novembro e vai estreitar as relações do Brasil, especialmente a região do Triângulo Mineiro, com o país africano.

A ação foi intermediada pela Superintendência de Igualdade Racial (Supir), sob o apoio da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Moçambique, com o intuito de promover um programa de intercâmbio envolvendo várias áreas acadêmicas oferecidas pelas duas instituições, incluindo alunos de graduação e pós-graduação, professores pesquisadores e técnicos-administrativos com nível superior.

O superintendente da Supir, Ramon Rodrigues, destacou que a cooperação vai agregar muito à cidade no que diz respeito não apenas à questão cultural e acadêmica, como, também, na troca de informações e futura exportação de produtos, serviços e mão-de-obra. “Esse acordo vai despertar o interesse de autoridades de Moçambique para vir ao Triângulo e ter acesso aos nossos serviços e atividades. Seria uma troca de conhecimento. Lá eles têm potencial para explorar e produzir, mas têm acesso restrito às novas tecnologias”, disse.

No caso dos intercâmbios culturais, o procedimento será gerenciado internamente pela UFU, com o apoio da diretoria de Relações Internacionais e Interinstitucionais da instituição. Os intercâmbios têm duração de quatro meses, mas podem se prolongar por mais dois. O G1 entrou em contato com a diretora do departamento, Raquel Santini Rade, para saber mais detalhes do intercâmbio, mas ela não pôde atender a reportagem.

No âmbito de promover o empreendedorismo e compartilhar experiências, Ramon comentou que em abril de 2015 será realizado um seminário internacional na cidade, que vai contar com representantes de Moçambique e de outros países africanos. “Os afrodescendentes ainda são minoria no mercado de trabalho. A partir desses projetos nós sinalizamos soluções e despertamos a atenção dos órgãos africanos para que entendam essa demanda”, pontuou.

FormatFactoryUFU

Foto: Divulgação

G1

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top