Educação

Curiosidades e atividades levam visitantes à Biblioteca Municipal de Uberlândia

Foto: Marco Crepaldi

Em um mundo cada vez mais tecnológico, o hábito da leitura ainda vive de forma pulsante dentro de grande parte da população. É por isso que a Biblioteca Pública Municipal Juscelino Kubitschecksegue atraindo diariamente apaixonados por letras e histórias. Neste mês de férias, a charmosa edificação vê seu público aumentar ainda mais. Além de seus tradicionais atrativos, foram desenvolvidaspela Secretaria Municipal de Culturaatividades especiaispara jovens e crianças no período de férias escolares.

 

Durante todo o mês de janeiro, o espaço promoverá o projeto Cinema na Biblioteca, para presentear o público com a exibição de clássicos do cinema todas as sextas-feiras, a partir das 15h30. Para os fãs da arte da dobradura, uma oficina especial é realizada às quartas-feiras, a partir das 14h.

“Nosso objetivo é atrair cada vez mais visitantes à biblioteca, pois ela é de todos nós. Durante as férias, é muito bom poder receber tantos estudantes interessados em ler. Lembrando que todas as atividades são gratuitas”, comentou a diretora do local, Denise Carvalho.

Curiosidades

 

Instalada desde 1976 onde funcionava a antiga rodoviária de Uberlândia, a própria arquitetura do espaço motiva a presença de visitantes de diferentes regiões do município. Cada sala é responsável por abrigar diferentes universos de obras e descobertas.

 

A Sala Uberlândia, por exemplo, reúne o trabalho de cerca de mil autores que nasceram ou tiveram algum vínculo com a cidade. Este cômodo também tem a responsabilidade de abrigar a obra mais antiga dos mais de 40 mil livros do acervo. Naquele espaço, guardado com grande esmero, está o livro ‘MBoitatatá’, impresso em 1942, de autoria do uberlandense Nelson Cupertino.

“Livros assim são tão valiosos que nem fazemos o empréstimo. Eles ficam guardados como um tesouro. Mas mostramos a todos os visitantes que quiserem conhecer”, comentou Denise.

 

Inclusão

 Foto: Marco Crepaldi

Para fomentar o ensino desta forma de comunicação que facilita a vida de pessoas com deficiência visual, a Biblioteca Pública Municipal Juscelino Kubitschek oferece ainda, ao longo de todo o ano, um curso gratuito voltado a todos os interessados em aprender a técnica. Além disso, o espaço dispõe de um acervo de cerca de 400 obras escritas em relevopara empréstimo à população.

 

O curso é ministrado ao longo de todo o ano, à medida que surge demanda e é aberto tanto para quem tem deficiência visual ou pessoas simplesmente interessadas em conhecer mais da técnica. Quando um interessado informa à Biblioteca o desejo de aprender sobre o método, os servidores municipais montam uma agenda de aula para ministrar o conteúdo. O curso é dado por uma profissional treinada e de forma individualizada.

 

As aulas podem ser marcadas das 8h até as 13h, de acordo com a disponibilidade da equipe do espaço. “Ano passado, recebemos pessoas de diferentes perfis e idades, como é o caso de um garoto de 11 anos que se mostrou bastante interessado. Estamos de portas abertas à população, mas ressaltamos que o aprendizado depende diretamente do empenho”, comentou Denise.

 

Além de ensinar o método, a Biblioteca Municipal também incentiva a leitura de pessoas que já fazem uso da técnica. Para levar as obras para a casa, basta ter uma ficha convencional cadastrada no sistema. No entanto, o uso deste recurso é exclusivo para pessoas com comprometimento da visão. O material fica guardado em uma sala separada no prédio, servindo também de espaço pedagógico durante visitas guiadas de escolas.

 

Novos leitores

 

Estar longe da escola não é sinônimo de manter distância dos livros. Nos últimos dias, a Biblioteca tem recebido um grande público de crianças e adolescentes para se emaranhar nas histórias contadas em mais de dez mil obras voltadas ao público infantojuvenil, em uma área de leitura exclusiva para os pequenos.

A garota Ketlin Oliveira, de 10 anos, fez um pedido inusitado para a sua mãe na tarde desta terça-feira (9). “Pedi para vir conhecer a Biblioteca, porque quero saber o que vou estudar no ano que vem. Não leio todos os dias, mas gosto de ler porque me interesso por tudo”, disse a menina.

 

Nesta tarde, o espaço também fez parte do itinerário de passeio de Laura Tereza Cisneiro, de 6 anos. Ela contou que a visita à Biblioteca teve um propósito especial. “Vim para conhecer o livro do Don Quixote. Vou pedir para a minha tia fazer uma carteirinha para eu levar para casa”, revelou a garota.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR