Educação

Preocupado com a situação do Curso de Direito da UEMG em Ituiutaba, aluno redige carta aberta aos colegas

A instabilidade na situação acadêmica do ensino na Universidade do Estado de Minas Gerais parece estar longe de ser solucionada. Nesta semana, um aluno do Curso de Direito escreveu uma carta aberta destinada aos colegas, onde o mesmo demonstra preocupação com os problemas percebidos no cotidiano acadêmico da graduação do curso, além de afirmar ter dificuldades até mesmo para agendar uma conversa com os responsáveis pela coordenação.

Veja abaixo o conteúdo na íntegra. 

“CARTA ABERTA AO ESTUDANTE DO CURSO DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS – UEMG UNIDADE ITUIUTABA

Venho, por meio desta nota, declarar pública e notória a grande preocupação com os atuais e graves problemas que maculam o bom funcionamento do cotidiano acadêmico da graduação em Direito da Universidade de Minas Gerais – Unidade Ituiutaba. No mesmo sentido, almejamos expor nossa extrema insatisfação com as muitas dificuldades enfrentadas pelos alunos e cobrar das autoridades do curso respostas e soluções que possam atender todas as demandas.
De acordo com o calendário acadêmico oficial da Universidade, após o período de férias, nossas aulas deveriam retornar no dia 05 de março de 2018. No entanto, apesar do semestre letivo ter iniciado há 1 mês, um contratempo antigo já tem gerado muitas reclamações de todos os graduandos: a falta de professor em sala de aula. Alegando que a Universidade não avisou por quais turmas e disciplinas estariam responsáveis, nem repassou seus novos horários, também ouve atraso no PSS (apenas no Direito) os docentes não comparecem à Universidade e os alunos são obrigados a voltar para casa sem aulas – especialmente no turno da noite. Algo inaceitável se considerarmos que a Coordenação do Curso teve um longo período de tempo entre o final do ano letivo passado e o início deste para se organizar, reunir-se com os professores, alocá-los nas classes e comunicá-los sobre seus turnos, agendas e dar sequência ao processo seletivo .
Encontramos nas salas vários alunos e professores insatisfeitos com as atitudes da coordenação, são vários professores reclamando que estão ministrando matérias que não são de seu domínio acadêmico, fazendo com que esses mesmos professores fiquem infelizes. Do outro lado, os alunos que sofrem por falta de informação e com uma coordenação fechada para diálogo que está priorizando a formação de todos sem focar na qualidade do ensino.
No dia 02/04/2018, às 20h30 um aluno do 7° período noturno, convocou o coordenador do curso para que tivesse um diálogo com a turma sobre o que estava acontecendo e a resposta foi: ‘’ Só respondo através de requerimento” – Em que mundo estamos que o coordenador do curso não pode ir na sala esclarecer o que acontece no curso ?
Convoco todos os alunos para se levantar contra essa coordenação que tem maquiado o curso para ficar bonito para o MEC e se esquece de que esta formando profissionais, NÃO QUEREMOS MÉDIA SEM ESFORÇO, QUEREMOS CONTEÚDO E QUALIDADE DE ENSINO.”

O Pontal em Foco acompanha o caso e já veiculou diversas matérias que envolvem falhas estruturais e de ordem acadêmica na instituição, que também motivaram manifestos e ocupações no campus. A situação preocupa alunos, professores e a comunidade jurídica local e regional, quando o assunto é a dificuldade enfrentada no ensino no Curso de Direito, veja abaixo a publicação que noticiou o prazo de 150 dias, a partir do fim do mês de outubro de 2017, para direção, coordenação e corpo docente, colocarem em prática medidas de saneamento das deficiências, fragilidades e inconsistências apontadas no relatório da Comissão de Verificação.

Curso de Direito da UEMG de Ituiutaba pode deixar de ser reconhecido

Mais informações sobre a UEMG (Unidade Ituiutaba) serão disponibilizadas posteriormente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR