Educação

Sem repasses do governo, atividades de ensino na UEMG de Ituiutaba e em todo o estado estão comprometidas

Foto: Pontal em Foco
Alunos da UEMG (Unidade Ituiutaba) estão se mobilizando para arrecadar alimentos para auxiliar os servidores em maiores dificuldade financeiras

A Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG está passando por um grande dificuldade financeira. Na Unidade Ituiutaba a situação não é diferente, sendo que a instituição não possui orçamento próprio e depende de repasses do governo do Estado de Minas Gerais, que não estão sendo feitos.

De acordo com o que apurou o Pontal em Foco, o último repasse para a Fundação Educacional  de Ituiutaba – FEIT foi feito em dezembro de 2017. O recurso é utilizado para manutenção da unidade, como a compra de materiais de uso contínuo que garantem o desenvolvimento das atividades acadêmicas, e para manter os servidores da zeladoria e do administrativo no campus.

Ainda segundo informações, a situação chegou em um ponto em que não há mais de onde retirar o dinheiro para o pagamento dos funcionários, estando insustentável. A instabilidade não atinge apenas da UEMG em Ituiutaba, pois a universidade em Belo Horizonte não tem recebido os recursos do governo Fernando Pimentel.

Na última quinta-feira, 17, o reitor da UEMG, Dijon Moraes, apresentou todas essas dificuldades e disse claramente que a situação coloca em risco à continuidade das atividades da universidade.

O Conselho Universitário da Universidade do Estado de Minas Gerais – Conun irá protocolar nesta sexta-feira, 18,  às 16h30 junto à Secretaria de Planejamento e Gestão – Seplag e à Secretaria de Fazenda – SEF pauta com os seguintes pontos: repasse dos recursos para quitação da dívida da universidade; repasse para quitação da dívida das fundações; repasse para quitação dos TCTF’s; suplementação orçamentária para manutenção e investimentos (o orçamento atual prevê recursos que garantem o funcionamento da universidade somente até julho).

Em 2013 o orçamento da UEMG era 160 milhões. Agora em 2018 é 168 milhões, contudo, em 2013 a universidade possuía cerca de 5 mil alunos e 500 professores, atualmente a universidade conta com cerca de 21 mil alunos e 1500 professores.

Em contato com pessoas ligadas ao setor de vigilância do campus, que é um serviço terceirizado, a empresa de vigilância TBI de Belo Horizonte se encontra há quatro meses sem receber repasses. Segundo informações, a folha de pagamento dos servidores referente ao mês de abril está atrasada.

No total, em Ituiutaba são 46 funcionários entre zeladores, administrativo e funcionários da Fazenda Experimental.

Solidariedade

Por conta do atraso no pagamento dos funcionários, muitas pessoas colaboradores da UEMG em Ituiutaba se encontram em dificuldades financeiras, assim, os alunos iniciaram nesta sexta-feira, 18, ações de solidariedade no sentido de auxiliar os servidores mais necessitados com alimentos, fraldas e leite, para auxiliar a manutenção familiar do mesmo. Os donativos estão sendo recebido no Centro Acadêmico do Curso de Agronomia, de frente ao Bloco A ou na direção da instituição.

Alimentos já arrecadados para os servidores em dificuldades financeiras
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR