Educação

UFU inicia monitoramento dos campi por câmeras; campi Pontal será contemplado

Até junho serão instaladas 200 câmeras nos campi da UFU (foto: Milton Santos)

Em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira, 10/4, o reitor da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Valder Steffen Júnior, anunciou o início do funcionamento de 51 câmeras de monitoramento instaladas no Campus Santa Mônica.

O próximo campus a ter câmeras instaladas é o Umuarama. Em seguida, os campi Educação Física, Glória, Pontal e Monte Carmelo. A previsão é que, em junho, as 200 câmeras contratadas estejam em funcionamento.

O serviço de instalação, monitoramento 24 horas e manutenção está sendo fiscalizado pela Diretoria de Logística da Prefeitura Universitária e executado pela Método Telecom, empresa de Belo Horizonte, escolhida por meio de licitação. O investimento com o serviço e equipamentos é de R$ 9.851.882,40. O valor será liberado em 60 parcelas mensais de R$ 164.198,04.

“A UFU já vinha há muito tempo preocupada com a questão da segurança”, destacou o reitor. “Tivemos alguns episódios muito preocupantes, especialmente com relação às mulheres”, lembrou Steffen Júnior, para justificar o empenho em melhorar a segurança nos campi.

A vigilância por câmeras que permitem a identificação facial e de placas de veículos é uma das medidas de segurança adotadas pela universidade. Com o processo de extinção do cargo de vigilante pelo Governo Federal, o contingente desses profissionais teve que ser reorganizado nos sete campi. Atualmente a UFU conta com 172 vigilantes terceirizados e 38 orgânicos (servidores da universidade).

Em junho de 2017, também teve início o serviço “UFU Segura”, no qual a Divisão de Vigilância e Segurança Patrimonial faz atendimentos de mensagens pelo aplicativo WhatsApp, pelo número 9 9996-4597. Atualmente o UFU Segura faz, em média, cerca de 10 atendimentos por dia.

As incursões da Polícia Militar nos campi da UFU é outra ação citada na entrevista coletiva que também contou com a participação do procurador federal Cléber Eustáquio Neves e do prefeito universitário, João Jorge Damasceno. “Hoje existe uma ordem judicial. A Polícia Militar está obrigada a fazer o policiamento ostensivo. Ela não depende de uma autorização prévia de ninguém”, explicou Neves.

As imagens gravadas ficarão armazenadas por 30 dias. Elas poderão ser acessadas pelas polícias Militar, Civil ou Federal, mediante ofício e pelos responsáveis pelas Unidades Acadêmicas ou Administrativas da UFU, via Sistema Eletrônico de Informações. As demais requisições serão atendidas mediante ordem judicial.

Fonte: Comunica UFU

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR