Redação | Comercial

Esportes

Com aposta em jovens, Boa Esporte se firma como vitrine no interior de Minas

Começo de ano é sempre época de mercado agitado no futebol. E com o Boa Esporte não está sendo diferente. Enquanto o elenco foi quase todo renovado para a temporada 2018, a torcida viu alguns dos jovens nomes da campanha da Série B deixarem a equipe rumo a grandes clubes do cenário nacional.

Ruan foi para o Internacional. Thaciano para o Grêmio. Rodolfo foi sondado pelo Botafogo. Com a aposta em jovens atletas, a equipe de Varginha vai se firmando cada vez mais como uma vitrine no interior de Minas Gerais.

Relembre alguns atletas que passaram pelo Boa Esporte e ganham destaque no país:

Petros

Petros chegou ao Boa Esporte aos 23 anos, em 2012 para disputar a Série B, até então, o campeonato mais importante de sua carreira. Revelado pelo Vitória, ele também acumulava passagens pelo Fluminense de Feira de Santana e o Democrata de Sete Lagoas. No Boa, Petros jogou as temporadas de 2012 e 2013 e ficou conhecido pela polivalência. Chegou a jogar, de volante, lateral e até de meia-atacante. No time de Varginha, foram 81 partidas oficiais e 4 gols marcados.

A regularidade no Boa Esporte o fez chamar a atenção do Penapolense, que o contratou para a disputa do Paulista de 2014. Após bom desempenho no time do interior paulista, foi contratado pelo Corinthians e não parou mais de atuar em alto nível. Após duas temporadas no Timão, foi jogar pelo Betis, da Espanha e no ano passado foi repatriado pelo São Paulo, onde terminou a temporada de 2017 como titular.

Petros atuou pelo Boa Esporte entre 2012 e 2013 (Foto: Rubens Chiri / site oficial do SPFC)

Moisés

O meia talentoso, que vai para sua terceira temporada como titular do Palmeiras, jogou no Boa Esporte em 2011, também aos 23 anos, quando disputou a Taça Minas Gerais e a Série B daquele ano. Na ocasião, participou da boa campanha do time de Varginha que quase subiu para a Série A já no seu primeiro ano de disputa da Série B. Marcou 10 gols em 30 partidas pelo time de Varginha e deixou saudades.

No entanto, como veio ao Boa Esporte por empréstimo do América Mineiro e chamou atenção por suas exibições, logo precisou retornar para o clube da capital. Em 2012 e 2013, jogou pela Portuguesa e depois foi se aventurar no desconhecido HNK Rijeka, da Croácia, até ser repatriado pelo Palmeiras em 2016.

Moisés marcou 10 gols pelo Boa Esporte (Foto: Marcos Ribolli)

Tchê Tchê

Também destaque do Palmeiras, Tchê-tchê passou pelo Boa Esporte em 2015, ainda sem usar o apelido, mas usando seu nome original, Danilo das Neves, também aos 23 anos. No Boa Esporte, no entanto, disputou apenas 3 partidas e depois retornou para o Osasco Audax que o havia emprestado para o clube de Varginha. Após um bom campeonato paulista em 2016, chamou a atenção do Verdão e de lá não saiu mais.

Tchê Tchê não teve muito espaço no Boa Esporte (Foto: Marcos Ribolli)

Fonte: Globoesporte.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR