Redação | Comercial

Esportes

Goleiro Bruno recebe autorização da Justiça e trabalhará fora da cadeia

Foto: Divulgação
O atleta poderá deixar o presídio em Varginha para dar aulas de futebol a filhos de presos em uma instituição da cidade.

Cumprindo pena como réu em Varginha pelo assassinato de Eliza Samudio, o goleiro Bruno Fernandes foi autorizado pela Justiça a trabalhar fora da prisão. A decisão da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais permite ao condenado realizar atividades no Núcleo de Capacitação para a Paz (NUCAP), na cidade do Sul de Minas, entidade voltada para inclusão social e reassocialização de presos. Ele dará aulas de futebol, de segunda a sexta, para crianças e adolescentes assistidos pela instituição.

De acordo com a decisão da Justiça, Bruno não poderá ter acesso á área externa do núcleo ou a pessoas estranhas à entidade, a não ser no caso de familiares. O goleiro sairá do presídio direto para a instituição onde realizará atividades, sem qualquer contato externo. Os dias de trabalho serão controlados em folha de frequência e serão usados para diminuir a pena do condenado.

O NUCAP recebe egressos do sistema prisional para reinserção social e recuperação dos condenados. Cerca de 60 crianças são atendidas pela instituição, tendo direito a alimentação e reforço escolar. Eles também participam de atividades esportivas como futebol e natação, além de tratamento psicológico e assistência social. A decisão que permite a Bruno trabalhar externamente foi justificada pelo ‘bom comportamento e por não apresentar alteração psicopatológica. “O reeducando deve se inserir em atividades laborativas com o fito de recuperação de sua dignidade”, destaca o documento da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais.

Bruno estava preso na Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC), em Santa Luzia, na Grande BH, e conseguiu habeas corpus, em fevereiro deste ano, para deixar a prisão. Liberado pela Justiça, ele firmou contrato com o Boa Esporte por duas temporadas. O goleiro disputou cinco partidas pelo clube de Varginha, pelo Hexagonal Final do Módulo II do Campeonato Mineiro, com duas vitórias, dois empates e uma derrota – ele foi vazado quatro vezes.

Em abril passado, os ministros do Superior Tribunal Federal, em Brasília, por 3 votos a 1, revogaram a soltura e o goleiro teve que retornar à prisão. Desde então, ele cumpre pena no presídio em Varginha, enquanto aguarda o julgamento do recurso contra a condenação, em setembro.

 Fonte: Superesportes
Tags:
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR