Redação | Comercial

Esportes

Tabu de uma década para ser quebrado na Copa São Paulo de Futebol Júnior

Cruzeiro e Atlético tiveram ótimos desempenhos nas competições de 2017 e buscam neste ano dar continuidade aos bons resultados alcançados por suas categorias de base (Foto: Douglas Magno)

Os times mineiros que disputarão a Copa São Paulo de Futebol Júnior, a partir desta quarta (3), terão a missão de quebrar um tabu que já dura dez anos. Foi em 2007 que o Cruzeiro conseguiu seu único título, que foi a última conquista do futebol de Minas Gerais na competição. O maior vencedor do Estado é o Atlético, com três taças, a última em 1983. O América também soma um título e terá o desafio de ratificar a fama de revelador de jovens talentos para o futebol brasileiro. Além do trio da capital, o Araxa também representa Minas Gerais.

Sem o futebol profissional ativo neste começo de ano, os atletas querem aproveitar o maior espaço na TV para mostrarem seu valor. “Aparece a oportunidade de mostrar nosso trabalho para o adulto com essa maior visibilidade”, conta o volante Renan, do Atlético, um dos poucos remanescentes de 2017.

Dos times de mais expressão no Estado, o Cruzeiro chega embalado após vencer o Brasileiro sub-20 e a Supercopa. O Atlético também aparece forte após o título mineiro e da Copa do Brasil. A mudança no time foi inevitável uma vez que o regulamento permite somente atletas nascidos a partir de 1998. Parte dos elencos vitoriosos deixou a equipe para dar oportunidade para outros jovens.

Assim como o adversário da capital mineira, o Cruzeiro quer tentar chegar no lugar mais alto possível, mesmo com um longo caminho pela frente. “Tivemos mais mudanças na parte ofensiva. Claro que os títulos recentes ajudam e motivam. O time está muito focado, e quem entrar vai dar conta do recado”, comenta o lateral-direito Lucas Soares, que integrou o time que conquistou os dois títulos recentes. O treinador Émerson Ávila, do Cruzeiro, lembra que o processo de maturação do time acontecerá com a competição em andamento, contando com a classificação para seguir em frente.

“Existe um período de adaptação para a equipe entrar no eixo e jogar da maneira como a gente quer. Para isso, é necessário um pouco de paciência com os jogadores e de entendimento que este é um momento de mudanças. Acho que, ao longo dos jogos, vamos evoluir na estrutura da equipe, no entrosamento, para que a gente demonstre todo nosso potencial”, afirma.

Estreias

Confira a tabela do primeiro jogo dos times mineiros nesta edição Taça São Paulo de Futebol Júnior

Quarta (3) –

16h – América x Remo-PA

18h – Francana x Araxá

Quinta (4) – 19h15

Cruzeiro x Batatais

Atlético x União Barbarense-SP

Araxá

Vice-campeão do Campeonato Mineiro sub-20, o Araxá espera surpreender e ir o mais longe possível na Copa São Paulo. “Temos um bom grupo, com jogadores de qualidade. Nossa expectativa é conseguir fazer uma boa campanha para conseguir a vaga à próxima fase no nosso grupo”, afirmou o técnico do Ganso e ex-jogador Charles Guerreiro.

Coelho tenta acabar com jejum de 22 anos

Campeão da Copa São Paulo de 1996, quando venceu o Cruzeiro na decisão, o América tentará neste ano acabar com um jejum de 22 anos sem conquistar a principal competição da categoria no futebol brasileiro. E para levantar o caneco, o Coelho conta com atletas que no ano passado chegaram a fazer parte do elenco profissional, como o volante Makton e o lateral-direito Felipinho.

“Nossa expectativa é muito boa. Desde minha chegada, reformulamos o grupo pensando neste ano de 2018. Queríamos mudar metodologicamente o trabalho para termos uma equipe competitiva para disputar os campeonatos em condições ideias e, claro, subir bons valores para o profissional”, afirmou o técnico Fred Pacheco.

O comandante alviverde não acredita em favoritismo da sua equipe. “A Copa São Paulo é muito dinâmica, em que as equipes vão crescendo ao longo do torneio. Tem uma fase de mata-mata muito particular e uma partida ruim pode deixar algum time de fora. Não dá para considerar ninguém favorito, mas o América tem condições de buscar o título”, disse.

Fonte: O TEMPO

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO