conecte-se conosco

Ocorrências

Grávida de cinco meses aborta no HSJ e recebe alta para casa levando feto em vasilha de paçoca

Publicado

em

Uma família residente na Rua Airton Carvalho Vilela, no Bairro Camilo Chaves passou por um momento de tristeza na madrugada desta sexta-feira, 9 de novembro, em Ituiutaba. A grávida Daniela Muniz, de 21 anos, se encontrava no quinto mês de gestação e estava internada no Hospital São José. Ela relatou para a equipe do Pontal em Foco que infelizmente abortou durante a madrugada, no momento em que teria ido ao banheiro quando o feto caiu no vaso sanitário.
Daniela falou que desde o dia 7 de outubro se encontrava em intenso tratamento médico, passando mais dias no hospital que em sua própria casa, sentindo fortes dores e sangramento. Ela contou que no início da madrugada da última quinta-feira, 8, por volta de 0h, após sentir dores acionou o SAMU, sendo conduzida ao HSJ, onde já é conhecida pela equipe e foi encaminhada diretamente ao quarto, onde aguardou o médico que a atendeu pela manhã. “O médico realizou exame de toque, verificou que estava aparentemente tudo normal, com o colo do útero fechado, batimentos do bebê normais, e inclusive ele estava se mexendo”, contou.
A gestante disse que durante o dia de ontem (8) sentiu dores por um grande período de tempo, sendo que recebeu remédio aplicado pela veia para que o incômodo da dor cessasse, o que não aconteceu. “Fiquei de repouso, modifiquei a posição da cama para tentar aliviar o sangramento, tive dificuldades de locomoção inclusive para realizar um exame de ultrassom”, afirmou.

Veja o depoimento completo da paciente no vídeo acima.

Madrugada

A mãe contou que por volta de 5h30 desta sexta-feira, 9, se levantou para ir ao banheiro. “Iria urinar, mas não consegui, o que saiu foi o meu neném, dentro da placenta e caiu dentro do vaso. Chamei as enfermeiras e uma deles veio com uma vasilha de paçoca que continha um líquido branco em seu interior, e utilizando uma sacola ela o pegou e colocou no recipiente. Ela tampou, colocou um esparadrapo e me entregou”, lamentou.
No início da tarde, a médica teria chegado ao quarto e verificado a situação, notando que Daniela estaria apta a ter alta médica. “Ela me passou alguns remédios e eu vim para casa com o meu neném, o coloquei ali na estante, ao lado da televisão”, disse.

Feto retorna ao HSJ

Daniela contou que uma colaboradora do Hospital São José buscou o feto em sua casa após a mesma ter feito contato com várias pessoas por não saber o que fazer diante de tal situação, tendo o fato sido repercutido no próprio hospital. “Não sabia o que fazer, não poderia enterrá-lo sem ter uma documentação para entregar ao cemitério. Ao receber alta eu saí com ele de lá de forma normal, ninguém me disse nada, assim eu o trouxe na lata de paçoca, portando também um papel que será utilizado para realização de um exame”, contou.
Segundo ela, o feto retornou para o hospital após às 14h, sendo levado para um laboratório por uma assistente social do HSJ. “Ela me disse que o exame do feto ficará pronto daqui 30 dias, que apontará o que aconteceu para o ocasionar o aborto. Contudo, não me falaram se vou poder vê-lo novamente ou enterrá-lo. Não tenho mais notícias e para mim todo o ocorrido foi um choque muito grande”, lamentou.
O bebê se chamaria Lorenzo Gabriel.

Veja o depoimento do esposo de Daniela:


Cássio Junior dos Santos, de 43 anos, esposo de Daniela e futuro pai de Lorenzo, contou durante entrevista que ao se ver diante de tal situação, com o feto de seu filho em uma recipiente na estante da sala de sua casa, o pegou e se dirigiu ao cemitério Parque da Saudade, onde buscou se informar se poderia realizar o sepultamento do mesmo no local, sendo informado por funcionário do local que não seria possível sem que houvesse a devida documentação. Veja na íntegra no vídeo abaixo.

Posicionamento do HSJ

A assessoria de comunicação do HSJ divulgou uma nota sobre o caso. Veja na íntegra abaixo.
“Informamos que a paciente D.M., 21 anos, deu entrada nesta instituição na data de 08/11/2018, às 6h55, com o quadro de dor em baixo ventre e idade gestacional de dezoito semanas. A paciente foi prontamente atendida e evoluiu para um abortamento espontâneo completo.
É procedimento do Hospital São José, em casos de abortamento, recolher o feto e enviar ao laboratório para exames anatomopatológicos. Por um equívoco, o feto foi entregue à família, sendo esclarecida a necessidade da destinação ao laboratório. Esta situação foi corrigida imediatamente pelo HSJ, que inclusive se empenhou e buscou o feto na residência da paciente, direcionando o mesmo ao laboratório credenciado.  
Informamos que o HSJ realizou todos os procedimentos clínicos, estando à disposição da família para quaisquer esclarecimentos.  
Ituiutaba-MG, 09 de novembro de 2018
Hospital São José da Sociedade de São Vicente de Paulo”.

Caso registrado

A Polícia Militar de Minas Gerais foi acionada e compareceu na residência da família, onde colheu informações e realizou o registro de boletim de ocorrência.

Feto foi colocado em recipiente de paçocas

Diretor clínico do HSJ concede entrevista exclusiva e esclarece caso de aborto com graves erros em Ituiutaba; assista

Ocorrências

Homem é preso por receptação após comprar moto furtada em Ituiutaba; veículo foi encontrado em Perdilândia

Publicado

em

Foto: PMMG

A Polícia Militar de Minas Gerais em Ituiutaba na última segunda-feira, 30, às 15h, recuperou no Bairro Setor Sul, um veículo produto de crime. PMs prenderam um suspeito que havia adquirido uma motocicleta furtada. A moto foi localizada no distrito de Perdilândia.

A PMMG realizou levantamentos e recebeu informações de que o suspeito, homem de 45 anos, havia adquirido uma motocicleta furtada em Ituiutaba no dia 14 de março de 2020 e a levado para o distrito de Perdilândia, município de Santa Vitória. Diligências foram realizadas naquela localidade e a motocicleta foi encontrada e recuperada.

Foram feitas diligências também em Ituiutaba e o suspeito, receptador, foi localizado e preso. Trata-se de uma motocicleta Honda/Fan CG 125, de cor vermelha. O suspeito foi conduzido até a delegacia de Polícia Civil e deixado à disposição da justiça.

Denúncias podem ser feitas via 190 ou pelo DDU 181, de forma anônima.

Continue lendo

Ocorrências

Em novas ações, PCMG prende mais dois suspeitos por homicídio após espancamento em Ituiutaba

Publicado

em

Mais dois dos cinco envolvidos em um homicídio ocorrido no dia 12 de fevereiro, em Ituiutaba, foram presos pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). As prisões foram realizadas por meio de mandados de prisão preventiva, cumpridos na sexta-feira (27) e no sábado (28).

O homem, que foi preso no sábado (28), é suspeito de ser o principal agressor contra a vítima. Segundo apurado, ele teria desferido diversos chutes e socos na cabeça da vítima, enquanto ela já estava desmaiada, o que levou à inconsciência do agredido.

As investigações prosseguem, pois ainda há um suspeito, com mandado de prisão em aberto, a ser localizado e preso.

O crime

A PCMG já havia cumprido, na última quinta-feira (26), mandados de prisão preventiva contra dois dos suspeitos de cometerem o homicídio.

A vítima foi espancada brutalmente pelos suspeitos e, após permanecer internada no hospital, veio a óbito por traumatismo craniano devido às agressões sofridas.

No dia do crime, a vítima estava com alguns amigos no Posto Universitário, onde, após desentendimento com os envolvidos, chegou a ficar inconsciente depois de ser agredida por motivo desproporcional ao que estavam discutindo.

O inquérito policial que apura o crime foi concluído, e os suspeitos foram indiciados.

PCMG prende dupla suspeita de participar de homicídio em posto de combustíveis em Ituiutaba

Continue lendo

Ocorrências

Criança é estuprada em residência de Iturama; caso foi registrado pela PMMG

Publicado

em

Um caso de estupro de vulnerável foi registrado pela Polícia Militar de Minas Gerais em Iturama. O fato teria ocorrido na segunda-feira, 23 de março, contudo, os pais da criança somente souberam dos acontecimentos e noticiaram os fatos à PMMG no último sábado, 28.

Conforme a PMMG, os pais da criança, uma menina de 11 anos, relataram que o crime ocorreu na manhã do dia 23 de março, quando a criança estava sozinha em casa e o suspeito, homem de 18 anos, chegou na residência e teria pedido água para tomar.

Ainda segundo os relatos, a vítima, por conhecer o individuo há muitos anos, permitiu que ele entrasse na residência para tomar água, porém, ela relatou que ele a pegou pelo braço e a levou para o quarto, onde tirou suas roupas e lá realizou a conjunção carnal. Por medo, a criança não teria informado aos pais sobre o crime no dia dos fatos, tendo coragem de falar somente na data do registro da ocorrência.

O indivíduo denunciado ainda não foi localizado, porém, os pais foram orientados sobre todas as providências que devem tomar.

Continue lendo

+ lidas