Ocorrências

Acusado por estupro de criança em Ituiutaba é preso na zona rural de Planura; homem estava trabalhando em uma horta

A Polícia Militar em Planura na última quarta-feira, 15 de maio, por volta das 17h, cumpriu mandado de prisão de um indivíduo foragido da justiça, acusado pelo estupro de uma criança. Trata-se de Adione Alves Borges, de 48 anos.

De acordo com informações da PM, o alvo do mandado judicial se encontrava em uma chácara na zona rural do munício, próximo do aeroporto. Os militares receberam a informação de que Adione estaria residindo em Planura.

Por isso, levantamentos foram feitos e resultaram na localização do acusado que se encontrava trabalhando em uma horta na região. Na quarta-feira, 15, diligências foram realizadas desde o início da manhã, sendo que por volta das 15h, equipes chegaram ao local onde o indivíduo estaria. No local, os militares verificaram que várias pessoas se encontravam trabalhando e ao questionar sobre o paradeiro de Adione, foram informados que ele teria ido até a cidade de Barretos na companhia do proprietário do empreendimento.

Uma equipe ficou no local até o retorno do homem foragido da justiça e logrou êxito em sua prisão. Ele foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil na cidade de Frutal.

O crime

De acordo com o Boletim de Ocorrência, o crime de estupro teria ocorrido no dia 13 de janeiro de 2019, por volta das 21h, na zona rural de Ituiutaba. A genitora da vítima, uma criança de cinco anos, relatou que o garoto teria chegado em casa “aborrecido”.

A mãe relatou ainda que no momento em que foi dar banho em seu filho, no momento de lavar suas partes íntimas ele começou a chorar e reclamou de dores, dizendo que não poderia contar a ela o que teria acontecido.

Mais tarde, durante conversa entre mãe e filho, a criança contou que o “Nana”, que é primo de seu genitor e acusado pelo estupro, teria o chamado, descido seu short e acariciado suas partes íntimas. O menino contou ainda que tentou sair do local, mas foi impedido pelo autor, que o segurou pelo braço, gerando uma marca de “roxo” no local.

Diante dos fatos, a Polícia Civil instaurou inquérito para apurar os fatos e após os procedimentos, a justiça expediu o mandado de prisão em desfavor do acusado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO