Ocorrências

Cães e cavalos sob maus-tratos são resgatados de criadouro irregular

Suspeita é que animais eram criados para caça e, depois, vendidos pelo dono do espaço (Foto: Samuel Mendonça)

Cerca de 20 cães e sete cavalos foram resgatados de um criadouro irregular em Matozinhos, na região Central, no domingo. A situação dos animais, em geral desnutridos, feridos e com doenças sem tratamento e mantidos em meio a fezes, foi denunciada à Comissão Extraordinária de Proteção dos Animais da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O responsável pelo criadouro chegou a ser conduzido à delegacia, mas foi liberado.

Segundo o presidente da comissão, o deputado Noraldino Júnior (PSC), a denúncia se restringia às más condições dos cavalos, mas, no local, o estado dos cães surpreendeu ainda mais. “Eram cães mortos junto com outros animais em situação deplorável, com fraturas e machucados, cheios de bicheiras. Ainda havia cadelas amamentando e com tumores em todas as mamas, sendo utilizadas para procriação. Uma cena muito triste”, disse o deputado.

A suspeita é que os cães, de grande porte, eram criados para caça e vendidos. “A situação era completamente precária. Os cachorros estavam desnutridos, em gaiolas imundas. Eles dormiam sobre fezes e comiam lavagem”, afirmou um investigador da Polícia Civil e integrante do Grupo de Repressão Unificada contra Abuso e Maus-Tratos aos Animais (Grucam) da corporação. Os cavalos também estavam magros e com carrapatos.

Os animais foram resgatados e, segundo o deputado Noraldino Júnior, estão em tratamento em uma clínica veterinária na capital. A intenção é que, depois de recuperados, eles sejam levados à adoção.

Investigação. O proprietário do criadouro, identificado apenas como Mundico, foi conduzido à delegacia de plantão de Vespasiano, na região metropolitana, onde foi ouvido e liberado. Segundo o deputado, o delegado de plantão definiu que os animais fossem restituídos ao homem. De acordo com o político, o policial teria afirmado que não havia tido acesso aos vídeos do local nem ao laudo veterinário que atestava os maus-tratos.

A Polícia Civil informou que as investigações estão em andamento e que outros depoimentos serão feitos. A Polícia Militar não se manifestou.

Deputado pede punição

O deputado Noraldino Júnior solicitou à promotoria de Justiça de Matozinhos que os bens do proprietário do criadouro sejam arrolados e destinados aos gastos do tratamento dos animais. Uma lei estadual, de autoria dele, estipula multa de R$ 1.500 em caso de maus-tratos que causem ferimentos.

O Ministério Público afirmou que um procedimento foi instaurado.

MINIENTREVISTA

Noraldino Júnior
deputado

Qual era a situação dos animais no criadouro?

Era uma cena lamentável. Os animais estavam com fratura exposta, feridas sem nenhum tratamento, cheio de bichos e larvas, no meio das fezes. Já havia animais mortos, que não conseguiram suportar a situação do ambiente.

O que será feito?

Tivemos uma reunião com a promotora, para que ela pudesse agilizar a ação sobre esse crime de maus-tratos, para que esse caso sirva de exemplo e as pessoas entendam que crueldade contra os animais será punida com todas as penas cabíveis, tanto criminalmente quanto com sanção administrativa, que estabelece multas para cada animal maltratado, e a responsabilização pelo atendimento veterinário.

Há alguma orientação para quem quer um animal?

É importante que as pessoas tenham consciência da procedência do animal e optem pela adoção.

Mais de 30 cães foram recuperados de casa de acumuladora em BH (FOTO: CRISPIM ZUIM / DIVULGAÇÃO)

 

Cachorros estão à espera de um lar

Mais de 30 cães, a maioria filhotes, estão à espera de um novo lar desde que a dona deles faleceu, deixando-os com a mãe já idosa e sem condições de cuidar dos bichos. Acumuladora, a antiga tutora recebia todos os cães que os vizinhos deixavam na porta da casa dela, no bairro Pompeia, na região Leste da capital.

Preocupados com os animais, familiares da mulher pediram ajuda a vários grupos de proteção em BH, e, na sexta-feira passada, voluntários do projeto O Lobo Alfa estiveram no local, onde encontraram em torno de 40 animais assustados e arredios, que apresentavam sinais de fome. Havia fêmeas com muito leite e poucos filhotes, o que indicava que muitos não resistiram. O grupo resgatou uma mãe e quatro filhotes recém-nascidos e conseguiu a adoção de outros dois cães.

Quem quiser adotar um amigo pode entrar em contato pelo telefone (31) 99926-3999.

Fonte: O TEMPO

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO