Ocorrências

Caso Sueli: mandante e executor do crime pagou R$ 2 mil para casal auxiliá-lo na ação que tirou a vida da vítima

Um caso de grande repercussão nas redes sociais e no cenário nacional foi solucionado neste final de semana pela Polícia Civil de Minas Gerais em Ituiutaba. Foram cumpridos os mandados de prisão temporária de Rollander José Camargos, 38 anos, Vilson de Morais, 34, Juliana Alves Ferreira, 29, e Nilton Belchior Camargos, 62. Eles são suspeitos de envolvimento no desaparecimento de Sueli Aparecida da Silva, de 37 anos, ocorrido no dia 30 de março. A prisão dos suspeitos foi realizada no domingo (19).

A Polícia Civil, ao tomar conhecimento do desaparecimento, deu início às apurações, que apontaram ser Rollander, amante de Sueli, a última pessoa a ter estado com ela. Ele a teria pegado na residência dela e saído em um Fiat/Uno. Posteriormente, a vítima não mais foi vista.

Após detalhado trabalho investigativo, a Polícia Civil conseguiu reunir provas dos envolvidos, sendo representado perante o Poder Judiciário pela decretação da prisão temporária dos suspeitos.

Os policiais civis descobriram que o mandante e executor do crime, Rollander, havia fugido para o Estado do Tocantins, após o fato. Entretanto, a Polícia o prendeu quando ele voltava para Minas Gerais. A prisão de Rollander contou com apoio operacional da Polícia Rodoviária Federal, Posto Trevão, e de sua área de inteligência. Os outros três indivíduos foram presos na cidade de Ituiutaba, sendo dois na área rural e outro no Bairro Platina.

Rollander confessou o crime, afirmando que a motivação teria sido o fato de Sueli estar lhe pressionando para que assumisse o relacionamento. Entretanto, como ele já tinha uma namorada, não poderia assumir compromisso com a vítima, razão pela qual tramou o crime, que contou com a participação de mais três pessoas.

Segundo informações, a vítima teria sido dopada por Rollander e, posteriormente, levada para um matagal na região rural de Ituiutaba, onde teria sido morta. O local é de difícil acesso e possui mata bastante densa. Rollander confessou à polícia que teria pago a quantia de R$ 2 mil para dois dos envolvidos, para que executassem o crime. O corpo da vítima foi encontrado por policiais civis nesta segunda-feira (20).

 
CONTINUAR LENDO