Ocorrências

Em nota, ex-diretor da UEMG de Ituiutaba, Saulo de Moraes comenta caso de exclusão de dados de computadores

Uma notícia veiculada neste portal de notícias nesta terça-feira, 12, envolveu a transição de direções da Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG (Unidade Ituiutaba) e uma suposta ocultação de dados de computadores. Diante da repercussão do assunto, a ex-vice-diretora, Neide Wood, e o ex-diretor, Saulo de Moraes enviaram notas onde comentam sobre o caso. Os fatos estão sendo apurados. Veja baixo e entenda.

Em reposta à reportagem “Computadores utilizados por ex-diretores da UEMG de Ituiutaba têm dados excluídos”

Eu, Prof. Saulo de Moraes Garcia Júnior, ex-diretor da Unidade de Ituiutaba – UEMG, venho por meio dessa mensagem esclarecer a comunidade de Ituiutaba sobre a matéria publicada neste meio de comunicação de grande circulação e que se presta a levar a verdade dos fatos.

Para quem não me conhece, fui professor da Feit e agora na UEMG, presto serviço nessas unidades há 31 anos, prezo pela transparência e pelo respeito às pessoas.

Para o conhecimento de todos, a gestão da Unidade é tratada pelos responsáveis dos setores, por exemplo: Dados acadêmicos dos alunos são geridos pela Secretaria Geral, dados funcionais dos funcionários e professores da UEMG são tratados pelo RH, dados dos bens da Unidade são tratados pelo setor de Patrimônio, dados de pesquisa pela Coordenação de Pesquisa,  dados da extensão são tratados pela Coordenação de Extensão, bem como todas os documentos, e-mail’s, entre outras tratativas com a Reitoria e com a comunidade em geral eram feitospela secretária da Direção. No computador da Direção tinham apenas dados pessoais e anotações de aulas.  Se os atuais gestores tivessem procurado a minha pessoa ou a ex-vice-diretora, para obter algumas orientações dos procedimentos adotados em relação àgestão da Unidade,nós estaríamosa disposição para sanar qualquer dúvida. Inclusive, durante a última reunião com os Coordenadores, da qual o atual diretor participou e durante a sua posse em BH na Reitoria, me coloquei a sua disposição para qualquer esclarecimento que por ventura necessitasse.

Mas, para minha surpresa, nesta terça fui surpreendido pela matéria a qual fui acusado de ter formatado o computador da Direção da Unidade. Se tivessem procurado o setor de informática saberiam que tal computador há aproximadamente 40 dias apresentou problemas no seu Sistema Operacional e que o mesmo setor de informática da unidade fez o possível para recuperá-lo, mas não obteve sucesso.

Cabe ainda informar que em nenhum momento fui procurado para dar explicações sobre o ocorrido com o computador, que era de conhecimento do setor de informática e da secretária da Direção.

Quanto às contas de e-mail, volto a frisar que todas as tratativas físicas (documentos impressos) ou por e-mail eram feitas pela secretária da Direção, e ela com certeza pode apresentar os documentos, e-mail’s e outros aos atuais gestores.

Venho de público mais uma vez me colocar a disposição da atual gestão para sanar quaisquer dúvidas e mantenho meu apoio para o sucesso da gestão que se inicia.

Arquivos institucionais da UEMG, Unidade Ituiutaba, foram deixados à disposição de novos diretores da Unidade

“Sou Neide Wood Almeida, ex-vice-diretora da UEMG, Unidade Ituiutaba e venho aqui externar o grande estranhamento causado a minha pessoa quanto da leitura da reportagem do jornal Pontal em Foco intitulado “Computadores utilizados por ex- diretores da UEMG Ituiutaba têm dados excluídos”. Assim, gostaria de informar a toda à comunidade tijucana, leitora deste prestigiado jornal, que as informações improcedentes e de certa forma irresponsáveis dessa matéria causaram muito sofrimento a mim e a toda a minha família, visto que tenho trinta e sete anos de serviços prestados a Universidade do Estado de Minas Gerais e a Fundação Educacional de Ituiutaba, período no qual construí uma carreira bastante profissional, sólida e responsável.

Quando a nova direção da Unidade, hoje formada pelos professores Conrado Henrique Nascimento Alves Pereira (diretor) e Patrícia Alves Cardoso (vice-diretora) ganhou a consulta realizada entre a comunidade acadêmica e este resultado foi homologado pelo Conselho de Coordenações (órgão máximo de deliberação da Unidade), o professor Conrado solicitou uma audiência comigo, onde me ofereci, com toda a prontidão, para auxiliar a nova gestão em tudo que estivesse ao meu alcance. Novamente, em 28/05, durante a última reunião do Conselho de Coordenações, frente a todos os coordenadores de curso da UEMG Ituiutaba, me coloquei novamente à disposição da nova direção, para uma transição profícua e tranquila.

Venho ainda informar que, quando a nova direção viajou para Belo Horizonte, para tomar posse de seus cargos, retirei todos os meus livros, pastas e apostilas da sala da vice-direção, de maneira a deixar a sala arrumada e preparada para a volta da professora Patrícia. Assim também fiz com os arquivos que estavam no computador da sala da vice-direção. Porém, de maneira responsável e respeitosa, copiei todos os arquivos que não eram particulares e que de alguma forma estivessem relacionados com meu trabalho de vice-diretora ao longo de quatro anos, organizei esses arquivos em cinco pastas, nomeadas conforme o assunto e gravei no pen drive da secretária da direção, Fernanda Juliana Maria de Lima, solicitando que assim que a nova vice-diretora Patrícia começasse a trabalhar, que ela repassasse os arquivos para que ela pudesse selecionar o que interessaria à nova gestão. Conforme contatos telefônicos com a secretária Fernanda Juliana, todos esses arquivos foram devidamente repassados.

Quando a reportagem em questão indica que “os responsáveis ou a suposta causa para a exclusão ainda é desconhecida”, esclareço que isso também é uma grande inverdade, pois consultei um dos técnicos em informática apontados na reportagem, o Otaviano, perguntando se, uma vez que os arquivos institucionais já tinham sido devidamente encaminhados à nova direção e que os arquivos particulares já estavam no meu pen drive, qual seria a melhor atitude a tomar com os dados que ainda estavam no computador. Este técnico me aconselhou a formatação e ele mesmo procedeu esta limpeza final dos dados. 

Termino esta nota de esclarecimento perguntando: – Se todos os arquivos pertinentes á vice- direção foram devidamente repassados à nova direção, se me ofereci mais de uma vez para auxilia-los neste momento de transição, ou em outros caso fosse necessário, por que chamaram a polícia e fizeram boletim de ocorrência? Por que citaram meu nome neste boletim de ocorrência? Por que citaram o artigo 305 do código penal? A única resposta plausível que me vem à cabeça é que tenha sido um grande engano. Porém, aguardo pacientemente que os novos diretores me procurem e se expliquem comigo, pois caso não tenha sido um engano, algo errado parece já ter começado a acontecer neste novo momento da Unidade Ituiutaba da UEMG.

Neide Wood Almeida”

O caso

A Polícia Militar em Ituiutaba foi acionada para comparecer na Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG (Unidade Ituiutaba), durante a tarde da última segunda-feira, 11, após a nova direção, empossada na última semana em Belo Horizonte, notar que os computadores utilizados pelos ex-diretores haviam sido formatados, procedimento que exclui totalmente os arquivos das máquinas.

Segundo fontes do Pontal em Foco, ligada à instituição, dois técnicos-administrativos da área de informática analisaram os computadores e constataram que de fato os arquivos haviam sido apagados. Dessa forma, a continuidade do trabalho está temporariamente inviabilizada.

De acordo com as informações, o boletim de ocorrência 2018-025696309-001 será encaminhado para a reitoria da UEMG em Belo Horizonte e para o Ministério Público, para a apuração dos fatos.

A gestão anterior, composta pelos ex-diretores, Saulo de Morais Garcia e Neide Wood, não realizou o procedimento de transição para a nova direção, que é formada pelos professores, Conrado Henrique e Patrícia Cardoso, e que após tomarem posse na quinta-feira, 7, permaneceram na capital mineira até o sábado, 9, tratando com a reitoria questões relacionadas a unidade.

Outro empecilho para o desenvolvimento total do trabalho dos novos diretores é que a senha o e-mail utilizado pela direção não foi a eles disponibilizada pelos anteriores, fato que também consta no boletim de ocorrência.

Os responsáveis ou a suposta causa para a exclusão dos dados ainda é desconhecida.

Medidas

Diante da situação, a reitoria foi acionada pela direção da UEMG de Ituiutaba para que faça o replique de todos os documentos enviados nos últimos meses, e também está sendo realizado um levantamento interno com os vários departamentos para o não comprometimento do planejamento e do relacionamento da instituição com a reitoria.

Justiça

De acordo com o artigo 305 do Código Penal: Destruir, suprimir ou ocultar, em benefício próprio ou de outrem, ou em prejuízo alheio, documento público ou particular verdadeiro, de que não podia dispor resulta em pena de reclusão, de dois a seis anos, e multa, se o documento é público. E reclusão, de um a cinco anos, e multa, se o documento é particular.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR