Redação | Comercial

Ocorrências

“Eu nunca imaginei que ela estivesse grávida”, diz pai de recém-nascido jogado em lixeira

As investigações sobre a mãe que tentou matar o filho recém-nascido após dar à luz no banheiro de um hospital de Canápolis foram encerradas nesta última quarta-feira (10).

De acordo com a Polícia Civil, a jovem de 19 anos, que está presa na Cadeia Pública da cidade, foi indiciada por tentativa de homicídio qualificado. O pai do bebê, Geraldo Machado Neto, de 27 anos, registrou a criança e disse que ao contrário do que a jovem contou, não tinha conhecimento da gravidez.

Diferente do que ela contou para a Polícia, eu nunca imaginei que ela estivesse grávida. Meu sonho sempre foi ser pai e não sei porque ela preferiu esconder isso. Eu entrei com pedido de guarda do meu filho e já preparei toda a casa para recebê-lo. Meu desejo agora é que meu filho seja feliz“, contou Geraldo.

A delegada Anice Ahmad Mustafa Hamud disse que o laudo apontou que no momento do crime a jovem não estava em estado puerperal, que é quando a mãe, deprimida depois do parto e por causa do parto, resolve matar o filho recém-nascido.

A princípio iríamos indiciá-la por tentativa de infanticídio, no qual a pena é menor que a tentativa de homicídio. Mas o médico não apontou que ela estava com transtornos mentais no momento do crime e com isso, se condenada, ela pode pegar até 12 anos de prisão“, disse Anice.

Com informações de G1

a

Atualização em 4 de agosto de 2016, às 14h04


Mãe que tentou matar recém-nascido em Canápolis diz que pai não ia assumir a criança

A jovem de 19 anos que tentou matar o filho recém-nascido após dar à luz no banheiro de um hospital foi encaminhada nesta quarta-feira (3) à cadeia pública de Canápolis. De acordo com a delegada da Polícia Civil, Anice Ahmad Mustafa Hamud, a mãe contou em depoimento que o menino nasceu no vaso sanitário e que escondeu a gravidez dos pais dela, que são evangélicos, por medo e vergonha.

Ela disse que descobriu que estava grávida aos cinco meses de gestação. Ela falou com o pai da criança sobre a gravidez que negou assumir o filho. Como eles tinham ficado e não tinha um relacionamento estável ela contou que teve receio de falar da gravidez para os pais dela que são pastores da Igreja Evangélica Assembleia de Deus“, contou a delegada.

No depoimento a jovem contou que o menino nasceu e caiu dentro do vaso. Ela ficou com medo dele afogar, tirou o bebê da água e deixou ele cair no chão. Com a queda ele teve traumatismo craniano. Ela disse que não tentou enforcá-lo, mas no pescoço do bebê tinha arranhões. Após cortar o cordão umbilical com as unhas, ela colocou a criança no saco e dispensou no banheiro masculino“, relatou Anice.

O recém-nascido, que ainda não foi registrado, foi encontrado por um paciente em um saco bem amarrado. O bebê estava roxo e tinha ferimentos na cabeça, no pescoço e na boca. Ele foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU).

De acordo com o Conselho Tutelar de Canápolis, o pai do bebê tem prioridade na guarda da criança. Como ele ainda não manifestou interesse de ficar com o filho, os conselheiros irão procurá-lo nesta quarta para falar sobre o caso. A avó materna do menino disse que tem interesse de ficar com a guarda, porém os conselheiros farão um acompanhamento domiciliar para estudar se ela tem condições de assumir a adoção.

Com informações de G1

a

Atualização em 3 de agosto de 2016, às 16h37


Delegada dá detalhes sobre o caso em que mãe abandonou bebê em hospital de Canápolis

Na tarde desta quarta-feira (03), a delegada de Canápolis, Anice Almad Mustafá Hamud, informou detalhes sobre o caso de uma jovem que abandou seu bebê, recém-nascido, em um hospital.

De acordo com as informações passadas, Jaqueline é suspeita de cometer tentativa de infanticídio e, caso o médico legista não constate um estado de puerpério ou transtorno psíquico, a jovem responderá por tentativa de homicídio.

Anice disse também que o recém-nascido foi transferido para a neonatal de Uberlândia, a fim de que mais exames sejam feitos.

Confira o depoimento da delegada:

[fbvideo link=”https://www.facebook.com/Pon.em.foco/videos/1392296884119900/” width=”720″ height=”480″ onlyvideo=”1″]

a

Atualização em 3 de agosto de 2016, às 09h58


Após entrar em hospital de Canápolis alegando hemorroida, jovem dá luz e tenta matar filho

Uma jovem de 19 anos tentou matar o filho recém-nascido após dar a luz no banheiro de um hospital de Canápolis, na manhã desta última terça-feira (2). De acordo com informações do hospital, a jovem chegou à unidade alegando estar com dores abdominais causadas por uma possível hemorroida.

Santa Casa em Canápolis. Foto: Reprodução G1
Santa Casa em Canápolis. Foto: Reprodução G1

Conforme o hospital Santa Casa de Misericórdia, a jovem contou às enfermeiras que, após comer jabuticaba no dia anterior, estava sentindo muitas dores. “Ela chegou aqui [no hospital] dizendo que estava sentindo muitas dores abdominais e que achava ser uma hemorroida”, disse a técnica em enfermagem, Isabel Cristina Rodrigues Silva.

Ao ser medicada, a jovem foi até o banheiro da sala de observação feminina, e ao sair, estava com a roupa e as mãos sujas de sangue, justificando às enfermeiras que a hemorroida tinha causado o sangramento.

Uma das enfermeiras saiu da sala de observação feminina e ao voltar, a encontrou próximo à sala de observação masculina. Indagada pela enfermeira sobre o motivo de estar na sala masculina, a jovem disse que tentava lavar as mãos sujas de sangue.

Ainda de acordo com o hospital, um paciente que estava na sala de observação masculina ouviu choros de um bebê vindos do banheiro da sala. As enfermeiras da unidade foram chamadas e encontraram o recém-nascido, do sexo masculino, dentro de um saco de lixo na lixeira do banheiro. O saco estava bem amarrado e o recém-nascido estava roxo, mas respirando. O bebê estava com ferimentos na cabeça, no pescoço e na boca, além de apresentar sintomas de traumatismo craniano.

Após ser encontrado, o recém-nascido recebeu atendimento médico e passa bem. Ainda conforme o hospital, uma das técnicas em enfermagem que atendia a jovem relacionou os fatos e disse que ela havia mentido para esconder a gravidez. Uma das enfermeiras disse ainda que a mãe da jovem ameaçou processar o hospital, já que ela acreditava que a filha era virgem e não sabia da gravidez.

A jovem negou os fatos e passou por atendimento médico, que constatou o parto do recém-nascido. As Polícias Militar (PM) e Civil foram chamadas, e a jovem foi presa em flagrante por tentativa de infanticídio, mas segundo a Polícia Civil, ela deve ficar no hospital até esta quarta-feira (3), sob a escolta de policiais. Ao sair ela prestará depoimento e será conduzida ao presídio da cidade. Ela disse à polícia, em conversa preliminar, que pensou que o filho estava morto, por isso o jogou na lixeira.

De acordo com a Polícia Civil, assim que o recém-nascido receber alta, o Conselho Tutelar vai decidir se ele ficará com os avós maternos.

Na tarde desta quarta-feira haverá uma coletiva de imprensa para maiores detalhes sobre o caso. O Pontal em Foco fará uma live através da página no Facebook.

Com informações de G1

 

2 respostas para ““Eu nunca imaginei que ela estivesse grávida”, diz pai de recém-nascido jogado em lixeira”

  1. Essa víbora, assassina, na hora de se esfregar com o “vagabundo” não levou nada a sério, agora, tentou matar uma criancinha inocente! CADEIA !

  2. Ele o pai nao falo nao mais a vagunba tem que pega uns 20 anos pq pra da ela foi boa mais na hora da responsabilidade ela nao foi mulher agora ela devia era se enforca dentro da cadeia eu tenho dois filhos engravidei com 19 e fui mulher pra asumi morro por causa dos meus filhos ela e uma vagabunda !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR