Ocorrências

Idoso é encontrado morto em córrego na Avenida José João Dib em Ituiutaba; veja orientações de prevenção ao suicídio

A Polícia Militar em Ituiutaba foi acionada na tarde desta quinta-feira, 10, por volta de 17h, após a localização de um corpo no córrego nas proximidades da Avenida José João Dib com Avenida Vinte e Cinco, em Ituiutaba.

O cadáver estava boiando no trecho em que fica a “parte nova” da pista de caminhada.

Além da PM, compareceram ao local equipes do Corpo de Bombeiros e do SAMU, sendo que o óbito foi constatado pelos profissionais no local da ocorrência.

Assim, mediante atuação dos bombeiros, o corpo foi retirado do local e entregue ao serviço funerário. A perícia da Polícia Civil não compareceu ao local por ter sido dispensada.

De acordo com um familiar da vítima, que não foi identificada, trata-se de um senhor de 64 anos, que apresentava problemas de ordem emocional e teria tentado contra sua própria vida em outras oportunidades.

Infelizmente, após a queda no córrego, em um local de cerca de seis metros de altura, o senhor não resistiu. A vítima teria tentado contra sua própria vida ainda nessa quinta-feira, sendo contido por familiares.

Muitas pessoas se aglomeraram no local da ocorrência durante o trabalho das equipes de segurança.

Orientações

O suicídio, segundo Esther Hwang, psicóloga e pesquisadora da USP, é uma questão de saúde pública. “É reflexo de uma sociedade doente, e não necessariamente de uma pessoa doente”, diz. Segundo o Ministério da Saúde, todos os dias cerca de 30 pessoas tiram a própria vida no Brasil.

O suicídio, em si, é uma ação impulsiva, mas há um processo por trás do ato: isolamento, desistência de hobbies, falta de contato com a família e amigos podem ser interpretados como sinais.

Depressão e o abuso de álcool e drogas também exigem atenção. “Se a pessoa diz que vai embora, que quer sumir, que um dia vai acabar com tudo, é preciso ficar atento”, diz Elaine Macedo, gestora institucional e voluntária há 23 anos.

Segundo a Organização mundial da Saúde (OMS), os idosos correspondem à faixa etária de maior risco para o suicídio. No Brasil, a taxa de mortalidade entre pessoas com mais de 70 anos chegou a 8,9 a cada 100 mil habitantes
entre 2011 e 2015.

A taxa de suicídio também é alta entre os jovens: é a quarta maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos no Brasil.

Ajuda

Buscar ajuda por telefone se tornou inteiramente de graça. O número do Centro de Valorização da Vida (CVV), o 188, está disponível em todo o território nacional graças a uma parceria com o Ministério da Saúde.

Desde 2017, o telefone já era acessível a 23 estados brasileiros. As exceções eram Bahia, Maranhão, Pará e Paraná. O CVV, órgão sem fins lucrativos que funciona desde 1962, é dedicado a escutar qualquer pessoa que esteja passando por dificuldades, funcionando como uma prevenção ao suicídio. Em 2017, recebeu cerca de 2 milhões de ligações. Neste ano, espera ultrapassar 2,5 milhões.

Além do número 188, o CVV disponibiliza atendimentos presenciais, por chat e por email. Segundo a OMS, 90% dos casos de suicídio poderiam ser prevenidos.

Quem deseja ser voluntário do CVV precisa primeiro passar por um treinamento de cerca de 3 meses. Depois, é instalado em um posto da instituição para fazer um plantão de quatro horas por semana via telefone,
chat ou email.

Na rede pública de saúde, quem precisa de ajuda psicológica pode recorrer aos serviços da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), tais como os 2.555 CAPS (Centros de Atenção Psicossocial), que atendem transtornos psíquicos e dependência de álcool e outras drogas.

Se necessário, os pacientes são encaminhados para leitos de saúde mental em hospitais gerais. O Ministério da Saúde pretende atingir a meta de reduzir em 10% os óbitos por suicídio até 2020.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top