Redação | Comercial

Ocorrências

Mãe que confessou matar filho recém-nascido é condenada à 16 anos de prisão

Um júri popular condenou Elessandra Teles da Silva, 21 anos, a 16 anos de prisão por ter matado o próprio filho, um bebê de 18 dias, asfixiado com uma fralda. O crime aconteceu em julho do ano passado, e a própria Elissandra confessou o crime à Polícia civil, alegando que a criança “chorava muito”.

O julgamento durou cerca de 7 horas e, conforme o advogado de defesa Aziz Mussa Neto, o caso foi bem difícil, uma vez que a defesa classificou o caso por crime de infanticídio. Entretanto, essa tese foi rejeitada por 4 votos a 3. Conforme explica o advogado, o artigo 126 do Código Penal Brasileiros diz que o infanticídio ocorre quando morte do filho é provocada pela mãe por ocasião do parto ou durante o estado puerperal, em razão da alteração hormonal.

Dessa forma, Elessandra foi condenada pelo crime de homicídio qualificado, quando há intenção de matar, com causa de aumento, por ser contra menores de 14 anos. “Ela pegou a pena mínima para esse crime, que é de 16 anos, porque confessou o crime”, diz.

Aziz também disse que no presídio fooi emitido um laudo psicológico a respeito da sanidade mental de Elissandra, onde aponta tendência suicida da autora. “E vou pedir a instauração de incidente de sanidade mental”, acrescenta.

O pai do bebê, Jonathan Gonçalves Silva, chegou a ser acusado por omissão. Entretanto, ele foi inocentado, uma vez que a defesa declarou que Jonathan tem problemas mentais.

Sobre o autor

Jaqueline Barbosa

Jornalista tijucana, com formação em Comunicação Social / Habilitação em Jornalismo na Universidade de Uberaba

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR