Ocorrências

Suspeitos pela morte de vendedora que seguia para Itapagipe são presos

Segundo a Polícia Militar, Jhonatan Pereira Prado, solicitou a carona por meio do WhatsApp Foto: Reprodução

A Polícia Militar localizou na tarde da última quinta-feira, 2, o corpo da vendedora, Kelly Cadamuro, de 22 anos, que estava desaparecida desde a noite de quarta-feira, 1º, quando saiu em viagem de Rio Preto para Itapagipe, para visitar o namorado, o engenheiro civil, Marcos Antônio da Silva.

Prisão – Policiais da Companhia de Ações Especiais da Polícia Militar – Caep, prenderam na cidade de Rio Preto, estado de São Paulo, três suspeitos de envolvimento na morte de Kelly Cristina Cadamuro.

Segundo a Polícia Militar, os suspeitos presos são: Jhonatan Pereira Prado, que solicitou a carona por meio do WhatsApp, Wagner Luís Cunha e Daniel Teodoro da Silva, possíveis receptadores.

A prisão dos suspeitos aconteceu ainda na noite de quinta-feira. Os militares informaram que dois dos presos são suspeitos de estarem diretamente envolvidos na morte da jovem. O terceiro preso teria sido responsável pela receptação dos objetos roubados da vítima.

O celular de Kelly foi encontrado com os presos, além de outros pertences da vítima. Segundo a polícia, os dois homens confessaram o crime e detalharam a ação, que terminou na morte da jovem.

Imagens do pedágio em Fronteira (MG) mostram um homem passando com o carro, sem Kelly (Foto: Reprodução)

Detalhes do caso – Kelly era moradora de Guapiaçu e estava desaparecida desde a noite de quarta-feira, 1º, quando saiu para visitar o namorado, que mora em Itapagipe. Por meio de um grupo no WhatsApp, a vendedora combinou de dar carona a um homem até a cidade mineira.

De acordo com familiares, a jovem encontrou o homem na Praça Cívica, em Rio Preto, posteriormente, os dois seguiram para Itapagipe. O último contato de Kelly com a família foi por volta das 19h, quando ela parou para abastecer em um posto de combustíveis na BR-153, em Nova Granada.

Às 19h53, o carro de Kelly passou por um pedágio em Fronteira. Imagens da vendedora realizando o pagamento foram captadas pelas câmeras de segurança. Às 21h, o carro passa novamente pelo mesmo local, mas, desta vez, é um homem quem dirige o veículo.

Preocupados com o paradeiro da jovem, familiares e amigos acionaram a polícia, que deu início às buscas. Na manhã de quinta-feira, o carro de Kelly foi encontrado, entre as cidades Mirassol e Mirassolândia. O veículo estava sem as rodas e o som, além de estar sujo de terra.

O corpo foi encontrado na tarde de ontem, quinta-feira, pela Polícia Militar de Frutal. Segundo o major, Ivanildo Gomes dos Santos, comandante da 4ª companhia da Polícia Militar em Frutal, Kelly estava seminua, com as mãos e o pescoço amarrados e com sinais de violência.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Frutal para passar por autópsia e, posteriormente, ser liberado aos familiares, que foram até a cidade mineira para realizar o reconhecimento.

Fonte: Diário da Região

Foto: Publicação Facebook
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR