conecte-se conosco

Política

Funcionalismo custa R$ 750,9 bilhões com 11,4 milhões de servidores

Dados são de estudo do Ipea

Publicado

em

Foto: MARCELLO CASAL JR

O estudo Três Décadas de Evolução do Funcionalismo Público no Brasil (1986-2017), divulgado hoje (6), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), revela que, em 2017, foram gastos R$ 750,9 bilhões com os servidores públicos ativos, o que corresponde a 10,5% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) brasileiro.

Segundo a pesquisa, em 32 anos, o funcionalismo público ampliou-se em 123% e o número total de vínculos subiu de 5,1 milhões para 11,4 milhões. De acordo com o Ipea, o mercado de trabalho formal no setor privado teve crescimento de 95% no total de vínculos, no mesmo período.

No entanto, apenas um em cada dez servidores públicos é da esfera federal. O aumento no funcionalismo público está concentrado nos municípios. No período analisado, o número servidores municipais cresceu 276%, de 1,7 milhão para 6,5 milhões, enquanto o aumento foi de 50% na esfera estadual e de 28% na esfera federal, incluindo civis e militares. No caso dos municípios, diz o estudo, 40% das ocupações correspondem aos profissionais dos serviços de educação ou saúde como professores, médicos, enfermeiros e agentes de saúde.

“De 1986 a 2017, o total de vínculos no Poder Executivo – somando todos os níveis federativos – passou de 5 milhões para 11,1 milhões, um aumento de 115%. No Poder Legislativo, o crescimento foi de 436%, de 51 mil para 275 mil vínculos de trabalho. No Poder Judiciário, houve a maior expansão relativa, de 512%. O total de vínculos passou de 59 mil para 363 mil”, aponta o levantamento.

Remuneração

Em 2017, os dados mostram que permanece grande a discrepância na remuneração dos três níveis federativos. Apesar de representarem 60% dos vínculos do setor público, os servidores municipais ganham, em média, três vezes menos que os federais.

No Executivo federal, a remuneração média foi de R$ 4,8 mil em 1986 para R$ 8,5 mil, em 2017. No Executivo estadual, a remuneração média passou de R$ 3,6 mil para R$ 4,6 mil. No Executivo municipal, a remuneração média passou de aproximadamente R$ 2 mil para R$ 2,8 mil.

Na comparação entre os Três Poderes, o Judiciário tem os maiores salários. Em 2017, a remuneração média do Judiciário foi de R$ 12.081; no Legislativo, de R$ R$ 6.025, e no Executivo, de R$ 3.895.

A remuneração do Judiciário federal passou de R$ 7,4 mil em 1986 para R$ 14,1 mil, em 2017. No Judiciário estadual, a remuneração mensal média passou de R$ 5,8 mil para R$ 10,8 mil.

Nos 32 anos de análise da série histórica, as mulheres continuam ganhando menos que os homens, em todos os níveis. “Uma explicação possível para tal situação é que, provavelmente, elas estão predominantemente em ocupações com menor remuneração (uma vez que respondem pela maior parte das vagas nas áreas de saúde e educação). A média salarial dos homens era 17,1% superior à das mulheres em 1986, diferença que subiu para 24,2% em 2017”, diz o estudo do Ipea.

O levantamento mostrou também que houve aumento na escolaridade dos servidores públicos em todos os níveis da administração. Em 2017, 47% dos servidores públicos tinham nível superior completo, bem acima dos 19% com esse nível de escolaridade em 1986.

Atlas

A nova versão do Atlas do Estado Brasileiro também foi divulgada hoje. A plataforma interativa traz dados sobre a estrutura e a remuneração no serviço púbico federal, estadual e municipal do Executivo, Legislativo e Judiciário.

Política

Decreto da Prefeitura de Gurinhatã orienta sobre medidas de prevenção e abertura de serviço essenciais

Publicado

em

Foto: Ascom Gurinhatã

Seguindo as devidas recomendações do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde, o prefeito de Gurinhatã, Wender Luciano publicou na tarde da última segunda-feira, 30/03, novo Decreto quanto às medidas de prevenção ao COVID-19.

De acordo 039/2020, as medidas adotadas se referem ao funcionamento do comércio e empresas, sendo autorizado o funcionamento daquelas consideradas essenciais, como: farmácias e drogarias; supermercados, mercados, açougues e hortifrutigranjeiros; padarias e quitandas; postos de combustíveis e borracharias; agências bancárias e similares técnicos de internet; atividades agrossilvipastoris e agroindústrias; gás de cozinha com venda apenas na modalidade delivery; serviços de restaurante, com atendimento exclusivo para fornecimento e entrega de refeições como marmita e marmitex, não podendo ter atendimento interior em suas dependências.

Outra recomendação do Decreto trata do atendimento dos referidos estabelecimentos que deverão adotar medidas preventivas, como atendimento mais individualizado e com distanciamento, além das medidas preventivas como limpeza e esterilização no ambiente e disponibilização de álcool em gel para os funcionários e clientes.

A íntegra do Decreto 039/2020 está publicada no site http://gurinhata.mg.gov.br/index.php/covid-19/.

Continue lendo

Política

Por unanimidade, Comitê decide seguir recomendações do estado sobre Covid-19 e mantém comércio de Ituiutaba fechado

Publicado

em

Na manhã desta terça-feira, 31, o Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus em Ituiutaba se reuniu na Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG (Unidade Ituiutaba, onde deliberou sobre as medidas a serem seguidas nós próximos dias com relação ao estado de calamidade pública e de pandemia.

Dentre as decisões, os membros deliberaram sobre a continuidade no seguimento das recomendações do estado de Minas Gerais, mantendo, a princípio, o comércio sem funcionamento até o dia 17 de abril, com exceção de estabelecimentos considerados essenciais.

A medida visa intensificar o isolamento social como forma de diminuir a subida de casos da doença Coronavírus.

Também foi noticiada a aquisição de aparelhos respiradores para o reforço da Saúde no município para o tratamento de possíveis pacientes da doença, bem como trazidas novas informações sobre negociações para instalação de novos leitos de UTI no município.

Assista no vídeo acima o secretário de Saúde de Ituiutaba, Isaías Tadeu Alves!

Continue lendo

Política

Vereador confunde ventilador (eletrodoméstico) com ventilador mecânico (respirador) em Ituiutaba

Em meio a pandemia de Coronavírus que assolou o mundo nos últimos meses, varias cidades estão tomando medidas de prevenção em todo o Brasil, na ocasião era votado um projeto que destina R$500.000,00 aos cofres públicos.

Publicado

em

Vereador Gilson Humberto (DITO) - Foto: Adelino Júnior - Pontal em Foco

Na noite da última segunda-feira, 30, foi realizada reunião extraordinária na Câmara Municipal de Ituiutaba para votação de um projeto da Mesa Diretora que devolveu toda a verba indenizatória para o Poder Executivo Municipal utilizar no Combate ao Coronavírus. O valor total devolvido aproxima-se R$500.000,00 (quinhentos mil reais). Cerca de R$50.000,00 mensais até o fim do ano.

Durante a discussão dos vereadores, o vereador Gilson Humberto, popularmente conhecido como “Dito do Povo”, teceu seguinte frase: “Esse recurso, ao invés de comprar ventiladores, acho também que tem que ser respiradores. ” O vereador foi interrompido pelo seu colega, Marco Túlio, que corrigiu a informação a afirmou que tratava-se do mesmo equipamento.

O fato do vereador ter confundido um eletrodoméstico com equipamento respiratório de extrema necessidade para pacientes em estado grave de COVID-19 leva a questão para outro nível, quando o assunto é a capacidade de discutir medidas regionais para o combate a pandemia de Coronavírus.

Em Ituiutaba, as ações preventivas partiram da Secretaria Municipal de Saúde, através de um Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus, que determinou o fechamento de escolas e do comércio local, além da quarentena, seguindo decreto do Governo do Estado.

Continue lendo

+ lidas