Política

Governo nomeia 425 investigadores de Polícia Civil

Candidatos aguardavam nomeação desde aprovação em concurso de 2014

Os 425 candidatos ao cargo de investigador de Polícia Civil, aprovados como excedentes, no concurso de 2014, foram nomeados nesta quinta-feira (4/7), com publicação no Diário Oficial do Estado.

As nomeações foram concretizadas após aprovação por parte da Câmara de Orçamento e Finanças (COF) e nota técnica da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) tratando da legalidade do ato segundo o que rege a Lei de Responsabilidade Fiscal.

O chefe da Polícia Civil, delegado Wagner Pinto de Souza, reconhece o empenho do governo, em relação às necessidades da PCMG. “Agradeço ao governador Romeu Zema e ao secretário de Planejamento e Gestão, Otto Levy, pelo empenho e a sensibilidade em relação à necessidade de reestruturação dos quadros da Polícia Civil”, enfatiza.

Ainda segundo o chefe da PCMG, a importante nomeação acontece em um momento relevante. “A chegada dos investigadores vai contribuir para intensificarmos o combate à criminalidade violenta. A redução dos crimes violentos é uma das principais metas da nossa gestão. Assim, conseguiremos aumentar a sensação de segurança da população”, avalia.

A diretora da Academia de Polícia Civil, delegada-geral Cinara Liberal, explica que, após passarem pelos exames admissionais, os futuros investigadores vão ingressar na (Acadepol). “Eles farão o Curso Técnico de Formação Policial, que tem duração prevista de quatro meses. Após a conclusão, os policiais serão designados para atuar em unidades determinadas pela Superintendência de Investigação de Polícia Judiciária (SIPJ). Os melhores colocados escolhem em qual das delegacias relacionadas pela SIPJ querem servir”, diz.

A nomeação dos investigadores ocorre dez dias após a posse de 76 candidatos ao concurso de Delegado de Polícia Civil nível Substituto, regido pelo Edital PCMG 01/2018. A previsão é que a formatura aconteça em outubro deste ano.

 
CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR