conecte-se conosco

Política

INSS cria programa para identificar benefícios irregulares

Cerca de 11% dos benefícios têm indício de erros

Publicado

em

Começa a funcionar a partir de hoje um programa vinculado ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) que vai facilitar a identificação de benefícios irregulares e suspender esses pagamentos. Intitulada Programa de Governança e Integridade, a medida integra e cruza dados das instâncias administrativas do órgão, como diretorias de governança, auditoria e setores de gestão de pessoas. 

“Esse novo programa parte da premissa de que tão ou mais importante do que a cessação de benefícios irregulares é a identificação das causas que levaram ao pagamento de forma irregular; a origem do benefício irregular; e por que ele ocorreu”, disse o presidente do INSS, Renato Vieira, durante a solenidade de lançamento do programa.

Segundo ele, esse processo de aprendizado permitirá, ao INSS, “uma diminuição gradativa e constante” do número de pagamentos irregulares.

Um balanço divulgado no início da semana pelo INSS aponta que 261 mil benefícios foram cancelados ou suspensos em 2019, após um pente fino ter encontrado “indícios de fraude e irregularidades”.

“Cada um desses benefícios [cessados] gera um aprendizado institucional para o INSS, no sentido de identificar as razões pelas quais houve o pagamento de benefícios irregulares, para que travas sejam estabelecidas e benefícios irregulares não sejam concedidos no futuro”, acrescentou Vieira.

Citando levantamento feito pelo Tribunal de Contas da União (TCU), Vieira disse que 11% dos benefícios mantidos pelo INSS têm indício de irregularidade.

O Sistema de Governança será encabeçado pelo Comitê Estratégico de Governança e auxiliado por seis comitês temáticos: planejamento; gestão da informação; governança digital; integridade; gestão de contratações; e gestão de pessoas. Eles atuarão como instâncias colegiadas de discussão e deliberação de temas críticos.

Também será reinstalada a Comissão de Ética do INSS, a quem caberá prevenir e reprimir desvios éticos dos servidores do órgão.

Política

Prefeitura de Ituiutaba adota escala para pagamento de servidores com intuito de evitar aglomeração nos bancos

Publicado

em

Foto: Pontal em Foco

Para evitar aglomerações nos bancos, a Prefeitura de Ituiutaba adotou um sistema de escalonamento para o pagamento do salário de aposentados e pensionistas da CASMI, bem como dos servidores ativos nas diversas secretarias da administração municipal. Os valores correspondentes serão depositados em conta corrente, conforme o cronograma abaixo.

Dia 26/03/2020 – Aposentados (CASMI)

Dia 27/03/2020 – Pensionistas (CASMI)

Dia 28/03/2020 – Secretaria de Saúde

Dia 30/03/2020 – Secretarias de Governo, Procuradoria, Controladoria, Planejamento, Agricultura, Finanças, Obras, Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Social, Meio Ambiente, Administração e Trânsito.

Dia 31/03/2020 – Secretaria de Educação e Fundações

Continue lendo

Política

Câmara estuda disponibilizar recursos para combate ao Coronavírus em Ituiutaba

Publicado

em

O presidente da Câmara Municipal de Ituiutaba, vereador Francisco Tomaz Oliveira Filho, o Chiquinho, convocou reunião extraordinária para próxima segunda-feira, 30, às 18h.

Segundo o presidente, a medida se fez necessária depois que ele participou de uma reunião do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus em Ituiutaba e levantou a possibilidade do Legislativo disponibilizar recursos para ajudar no combate à doença no município.

Os 17 vereadores foram convocados para a sessão extraordinária, que acontecerá com portas do Plenário fechadas. Lembrando que as sessões foram suspensas na semana passada depois de uma portaria baixada pelo presidente, inclusive restringindo o acesso à Câmara apenas através das redes sociais, site e e-mail.

Continue lendo

Política

Governador pede apoio do Congresso para minimizar impactos econômicos no país durante crise do Coronavírus

Publicado

em

Foto: Gil Leonardi / Imprensa MG

Após reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro, na manhã desta quarta-feira (25/3), o governador Romeu Zema voltou a defender ações do governo federal para minimizar os impactos econômicos no país causados pelo coronavírus e pediu o apoio do Congresso nas pautas de interesse do Estado.

Os pedidos de Romeu Zema foram apresentados, na última tarde, durante reunião por videoconferência do Fórum dos Governadores, que também contou com a participação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Zema falou sobre os projetos prioritários defendidos por Minas Gerais para a evitar uma depressão na economia brasileira, além de garantir o máximo de empregos e renda para o trabalhador.

Além da discussão das medidas de prevenção à saúde, respeitando as determinações adotadas pelo governo e as da Organização Mundial de Saúde (OMS), o governador de Minas Gerais colocou como prioridade a aprovação, pelo Congresso, do projeto Mansueto, além da liberação dos recursos devidos ao Estado pela União, referentes à Lei Kandir.

“A principal questão é que nós estamos com uma luta dupla, contra o coronavírus e contra uma eventual depressão econômica. Temos a necessidade de que o governo e o Congresso capitaneiem essas causas. Nós já fizemos os cálculos e devemos ter uma queda de arrecadação de ICMS de R$ 7,5 bilhões em Minas Gerais”, afirmou o governador.

Preservação de empregos

Zema ainda defendeu o apoio do governo federal na criação de mecanismos que visem garantir a preservação do maior número de empregos e o auxílio às empresas.

“Também temos a preocupação em preservar empregos e empresas. Seria muito bem-vinda uma medida, como a que acontece em outros países, em que o governo auxiliasse, prioritariamente, as pequenas empresas, que em um momento como esse ficam quase com a sua vida inviável”, finalizou o governador.

O presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia, reconheceu a importância dos governadores na definição das prioridades e do Congresso em agir para adotar medidas rápidas e objetivas para ajudar o país a sair da situação.

“O mais importante é sermos objetivos, resolver as situações de curto prazo, garantir emprego e renda para os mais pobres e condições para que os estados e municípios continuem funcionando”, disse o presidente da Câmara.

Continue lendo

+ lidas