Política

Pagamento em dia aos servidores de Gurinhatã é promessa que ficou para 2018

Veja o vídeo da entrevista com o então candidato a prefeito, Wender Luciano, onde o mesmo afirma que pagaria seus funcionários pontualmente e em dia

No mês de dezembro, o Pontal em Foco está produzindo uma série de reportagens especiais, sobre alguns fatos importantes que aconteceram no decorrer de 2017 ou, que nem chegaram a acontecer, só ficaram na promessa.

Ficar na promessa, aliás, é o caso de algumas de nossas reportagens especiais relacionadas a promessa em campanha política. Esta é a situação em que vive o município de Gurinhatã, que desde gestão pública anterior possuía dificuldades para cumprir com o pagamento da folha salarial dos servidores, situação que comprometeu demasiadamente a economia local.

Com as eleições em 2016, surgiu a luz da esperança para a população da cidade do Pássaro Azul, visto que a prefeitura é com certeza a maior empregadora do município, pois de acordo com o então candidato a prefeito, Wender Luciano, em campanha política, quando concedeu entrevista exclusiva ao Pontal em Foco, prometeu que o martírio do funcionalismo público com o atraso de salários teria fim após a sua eleição. “Vocês tem a minha garantia. Isso não é apenas plano de governo. Todo empregador tem que pagar seu funcionários pontualmente e em dia“, afirmou o então candidato em entrevista no dia 1º de setembro de 2016.

Ocorre que Wender foi eleito com votação expressiva, e de fato, teve um início de administração aprovável, realmente cumprindo com os compromisso acima referidos. Porém, no decorrer do ano de 2017, devido a alguns fatores, novos atrasos nos pagamentos de folhas salariais mensais dos servidores foram registrados e, nesta semana, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Gurinhatã informou que após uma reunião realizada na última quarta-feira, 20, onde foi confirmado que mais uma vez o Governo do Estado de Minas não depositou o dinheiro do ICMS devido ao município, estando com os cofres vazios e um novo bloqueio judicial nas contas, a prefeitura não tem como pagar o 13º salário dos servidores, ficando o pagamento para o dia 10 de janeiro, ou antes, caso o Estado cumpra com suas obrigações e pague o que é de direito da prefeitura.

De acordo com o Departamento de Finanças e Administração, o Estado deve à prefeitura R$ 185 mil não pagos em 12/12, R$ 108 mil não pagos em 19/12, além de R$ 117 mil de Transporte Escolar, referentes a 5 parcelas em atraso, num montante que supera o valor de R$ 550 mil.

Dessa forma, cai por terra a promessa do prefeito, Wender Luciano, em cumprir fielmente com a importante tarefa de pagar em dia os servidores em sua gestão.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR