Redação | Comercial
Política

Polícia Civil indicia vereador tijucano por denunciação caluniosa

Foto: Adelino Júnior/Pontal em Foco
Além disso, também foram indiciados um assessor parlamentar e suposto autor de "carta denunciante"

Na tarde desta sexta-feira, 10, às 15h, o presidente da Câmara Municipal de Ituiutaba, Odeemes Braz, concedeu entrevista coletiva à imprensa, onde apresentou a conclusão do inquérito relacionado à polêmica “carta denunciante”, enviada a todos os vereadores há algumas semanas, e que envolvia seu nome e o do vice-presidente, Gilson Humberto (Dito do Povo), em um suposto esquema de enriquecimento ilícito, através de contratos publicitários superfaturados, conforme noticiado anteriormente em nosso portal.

De acordo com o documento apresentado por Odeemes, a Polícia Civil concluiu diante a apuração dos fatos trazidos na denúncia, não foram constadas evidências, relação ou retorno financeiro destinado ao presidente, que em verdade, houve em tese crime de falsidade ideológica, praticado por um assessor parlamentar, que confessou ter expedido nota fiscal com valor superior ao serviço prestado no intuito de prejudicar o denunciado.

Foto: Rodrigo Costa/Pontal em Foco

Quanto ao suposto superfaturamento em contratos publicitários celebrados entre a empresa contratada para tal e a Câmara Municipal, a Polícia Civil informou que a análise deverá ser feita por autoridade competente.

Ficando assim esclarecido que a investigação não realizou juízo de valor quanto ao serviço prestados, mas comprovou que as vítimas (Odeemes e Gilson) não são os responsáveis por realizar o serviço de cotação para o serviço publicitário da Casa de Leis, que possui empresa especializada para este fim.

Veja a coletiva de imprensa:

Coletiva de imprensa revela dados da investigação da PC em escândalo político

Publicado por Pontal em Foco em Sexta, 10 de novembro de 2017

Por fim, a delegada responsável pela investigação, Juliana Demonte Zanin, indiciou Jefferson Rocha dos Santos; o assessor parlamentar, Mario Paganini Júnior e o vereador, Hildorval Martins de Oliveira Júnior (Juninho da JR) por dar causa à instauração de investigação policial contra alguém, imputando-lhe crime de que o sabe inocente, crime que possui como pena reclusão, de dois a oito anos, e multa. Para o assessor, a investigação também aponta indícios do cometimento de inserção de declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante, que possui como pena reclusão, de um a cinco anos, e multa.

O Pontal em Foco entrou em contato com o vereador Juninho da JR, abrindo espaço para o mesmo se manifestar a respeito do caso, porém, até o momento desta publicação, o legislador não havia se manifestado.

Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Civil em Ituiutaba, uma nota oficial sobre o caso será divulgada à imprensa até a próxima segunda-feira, 13.

O clima deve continuar conturbado no Legislativo de Ituiutaba, principalmente, devido ao fato de que já na próxima segunda-feira, ocorre a eleição para presidência da Casa de Leis, que tem justamente como concorrentes os vereadores, Odeemes Braz e Juninho da JR.

Vereador Juninho publica nota após divulgação de inquérito na PC

 

2 respostas para “Polícia Civil indicia vereador tijucano por denunciação caluniosa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR