Política

Vice-governador de Minas, filiado ao Novo, usa helicóptero do Estado para voltar de spa de luxo

Paulo Brant, vice-governador de MG ao lago do governador Romeu Zema (Novo) Foto: Divulgação/Novo
Paulo Brandt e sua mulher, Alexia Paiva, usaram uma aeronave do Estado para se deslocar de um spa de luxo de Nova Lima para Ouro Preto durante o feriado prolongado da Páscoa

Filiado ao Novo, o vice-governador de Minas Gerais, Paulo Brant, e sua mulher, Alexia Paiva, usaram uma aeronave do Estado para se deslocar de um spa de luxo em Macacos, no distrito de Nova Lima, para Ouro Preto, durante o feriado prolongado da Páscoa. A notícia foi revelada pelo jornal O Tempo e confirmada pelo Estado.

Segundo a assessoria do governo mineiro, o casal estava hospedado no Espaço Águas Claras, que ficaria na rota aérea do compromisso de Brant. Foi por esse motivo, de acordo com o governo, que um helicóptero oficial foi usado para transportar os dois até Ouro Preto, onde foi realizada a cerimônia de entrega da “Medalha da Inconfidência”, comenda oferecida sempre no dia que lembra a morte de Tiradentes. Em nota (leia na íntegra abaixo), o governo justifica o uso da aeronave por “segurança, tempo e mobilidade.”

Foram homenageados os bombeiros e representantes da Defesa Civil mineira que ajudaram no resgate às vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, em janeiro, e também a professora Helley de Abreu – que morreu ao tentar salvar crianças de um incêndio criminoso na creche Gente Inocente, em Janaúba, na região Norte do Estado.

A utilização da aeronave constrangeu o Novo, partido que prega a corte de gastos e a austeridade no uso de recursos públicos. No evento, diante do vice, Zema chegou a mencionar a necessidade de se reduzir custos diante da grave situação fiscal do Estado.

Durante a campanha, Zema, único governador eleito pelo Novo em 2018, prometeu não usar aviões do governo e apenas se deslocar em voos de carreira durante o mandato. A redução dos gastos do setor público e a diminuição do tamanho do Estado também foram bandeiras de João Amoêdo na disputa presidencial do ano passado.

NOTA DO GOVERNO DE MINAS:

Levando em consideração questões de segurança, tempo e mobilidade chegou-se à conclusão de que o governador precisa locomover-se também em aeronaves do Estado. Isso será feito prezando a economicidade e respeitando o dinheiro público. 

O Governador precisa de agilidade para se locomover. Tendo em vista a extensão territorial do Estado, com 853 municípios, e uma agenda de compromissos extensa, conforme as necessidades do Estado, é imprescindível o uso das aeronaves oficiais. 

O Governador de Minas assumiu o compromisso de acabar com a frota aérea que ficava à disposição dos governantes e está fazendo isso. O Estado já vendeu duas aeronaves e transferiu outras duas para a COMAVE – Comando de Aviação do Estado da Polícia Militar de Minas Gerais. 

Respeito, austeridade, transparência, compromisso e responsabilidade com o caixa do Estado são as premissas que norteiam a administração do Governo do Estado de Minas Gerais.

Fonte: Estadão

Tags:
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR