Redação | Comercial
Acontece

Projeto de Mobilidade Urbana contempla construção de um terminal e ciclovias

População esteve presente durante a Audiência Pública sobre Mobilidade Urbana. Foto: Jaqueline Barbosa

Entre as diretrizes do Projeto de Mobilidade Urbana pra Ituiutaba, apresentado ontem (16) em audiência pública, está um sistema viário de ciclovias, bicicletários, mini praças nas calçadas, travessias planas e elevadas nas faixas de pedestres, alargamento das calçadas, reformulação das vagas de estacionamento, terminal de ônibus e um sistema de integração de linhas no transporte público. “Esperamos conscientizar e buscar apoio da população e do comércio para colocarmos em prática esse plano”, enfatizou o prefeito Fued Dib.

Durante a audiência pública, que aconteceu no Plenário da Câmara Municipal de Vereadores, o prefeito disse que tem intenção de que o Projeto seja implantado na parte central da cidade em até cinco anos. “Faremos o possível para que aconteça em um prazo menor para que possamos dar continuidade à implantação do Plano, nos bairros e regiões periféricas”, ressaltou.

O projeto foi apresentado por  Denise Labrea Ferreira, doutora em Transporte e com especialização em planejamento urbano, que foi contratada pela prefeitura, para que, juntamente com uma equipe técnica, elaborasse o projeto. Além de sua equipe, também participaram da elaboração do projeto representantes de secretarias municipais, do legislativo, da segurança pública e do comércio.

A proposta atende à legislação federal que condiciona a liberação de recursos orçamentários federais destinados à mobilidade urbana à um Plano Municipal que atenda essa questão. “Foram ouvidas cerca de 300 populares, durante os 11 meses em que foi discutido e elaborado”, conta Denise.

A doutora revelou também dados a respeito da situação do trânsito e transporte no município. Segundo ela, Ituiutaba conta com uma população de 103 mil habitantes para uma frota de 62,2 mil veículos. Também foi revelado que os acidentes de trânsito no município gera um custo ao Poder Público na ordem de R$ 13,430 milhões ao ano (com base na metodologia de cálculo do Ipea). “Esse valor poderia ser investido em melhorias no transporte público para diminuir o número de veículos nas ruas e, consequentemente, diminuir os acidentes de trânsito”, ressaltou.

Na audiência foi ouvido o público presente para que pudesse opinar e dar sugestões nas diretrizes apresentadas. Conforme Denise, agora, o plano segue para revisão final para que seja feito uma minuta de Projeto de Lei, que deverá ser encaminhado ao Legislativo até o final de março para ser votado pelos vereadores.

(Jaqueline Barbosa)

 

Jaqueline Barbosa

Jornalista tijucana, com formação em Comunicação Social / Habilitação em Jornalismo na Universidade de Uberaba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.