Saúde e Bem-estar

Minas tem 17.482 casos de chikungunya; número é 34 vezes maior do que o registrado em 2016

Minas Gerais registrou 17.482 casos prováveis de chikungunya até outubro, sendo 115 em gestantes. Nesse período, foram confirmados 10 óbitos, nove em Governador Valadares e um em Teófilo Otoni. A maioria dos óbitos apresentou faixa etária acima dos 65 anos. Segundo a Secretaria de Saúde de Minas Gerais, os óbitos ocorreram no primeiro trimestre do ano, coincidindo com o período de maior transmissão da doença. Outros 12 óbitos estão em investigação.

Os números foram divulgados nesta segunda feira (16). E segundo a SES-MG, os casos prováveis de chikungunya em Minas Gerais superaram muito o número registrado em anos anteriores. Para se ter uma ideia, em todo ano de 2016, foram contabilizados 503 casos.

Dengue e Zika

Em 2017, até o momento, Minas Gerais registrou 26.454 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de dengue. Desses, 13 casos vieram a óbito e outros 11 seguem em investigação.  Os óbitos eram residentes nos municípios: Araguari, Arinos, Bocaiúva, Campim Branco, Ibirité, Leopoldina, Medina, Monsenhor Paulo, Patos de Minas, Ribeirão das Neves, São José do Divino, Uberaba e Uberlândia. Não existe uma faixa etária predominante. Além desses, o Estado possui outros 11 óbitos em investigação.

Já com relação à febre pelo Zika Vírus, são 708 casos prováveis em Minas, sendo 127 em gestantes.

De acordo com a SES-MG, o boletim está sendo atualizado quinzenalmente, por causa do período de baixa transmissão das doenças. O pico de ocorrência de casos ocorre entre março e abril.

(Via SES-MG)

Tags:
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO

CLOSE
FECHAR