Saúde e Bem-estar

Obesidade Infantil: doença pode atingir crianças em todas as idades; veja orientações

A obesidade é um problema que afeta gente de todas as idades. A prevalência entre os adultos aumentou 60% no Brasil e começa cada vez mais cedo. Entre meninos e meninas de 5 a 9 anos, 33% já estão acima do peso e 15% são considerados obesos. Nesse ritmo, a estimativa é que a obesidade atinja 11,3 milhões de brasileirinhos em 2025. E por que os especialistas se preocupam tanto com isso? “Uma criança obesa tem 80% de chance de se tornar um adulto obeso”.

A condição está associada a nada menos que 26 doenças crônicas, como apneia obstrutiva do sono (episódios de interrupção da respiração durante o sono, devido à obstrução das vias respiratórias), problemas ortopédicos, diabetes tipo 2 e doença cardiovascular, problemas que deixaram de ser exclusividade de gente grande! Podem ocorrer também problemas psicológicos – por exemplo, depressão ou pior qualidade de vida. Para crianças com sobrepeso, preconceito e discriminação fazem parte da vida cotidiana. Além disso, as consequências de atitudes induzidas pelo preconceito, como isolamento ou retraimento social, podem contribuir para a exacerbação da obesidade, por meio de vulnerabilidades psicológicas que aumentam a probabilidade de comer em excesso e de atividades sedentárias. 

Diversos fatores podem causar obesidade infantil. Entre as mais comuns estão fatores genéticos, má alimentação, sedentarismo ou uma combinação desses fatores. Além disso, a obesidade em crianças também pode ser decorrente de alguma condição médica, como doenças hormonais ou uso de medicamentos a base de corticoides.

Hoje em dia as crianças ignoram atividades físicas e substituem por jogos eletrônicos, brinquedos, etc. A pirâmide da alimentação, atualmente está sendo ignorada, por causa do alto consumo de alimentos industrializados (Pizza, salgadinho, bolo, chocolates, etc.). Esses alimentos são muito comuns hoje em dia, e apresentam alto teor de gordura. Algumas famílias, por exemplo, não consomem verduras e legumes durante a refeição, que acabam sendo substituídos pelos alimentos gordurosos (que não precisam ser necessariamente industrializados).

Não existe nenhum tratamento farmacológico em longo prazo que não envolva mudança de estilo de vida. Sem uma atuação em conjunto, que envolva uma equipe interdisciplinar, a família e a escola, não há como resolver. Obesidade precisa de tratamento, Até porque, uma vez instalada a obesidade, mais difícil fica reverter o quadro.

Dra. Kenia Guimarães – Nutrologia

CRM/MG: 75874

Tratamento da obesidade e práticas esportivas – Consultório Viver, Avenida 19, n° 1764, Centro. Telefone: (34) 3262-3785 – Ituiutaba/MG.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTINUAR LENDO