conecte-se conosco

Saúde e Bem-estar

Governador anuncia criação de 800 leitos para combater Coronavírus; Uberlândia é uma das cidades com potencial de ampliação

Publicado

em

Governo de Minas dará início, nesta quarta-feira (25/3), à construção de um hospital de campanha no Expominas, em Belo Horizonte. Serão oferecidos 800 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados ao enfrentamento do novo coronavírus. A informação foi divulgada pelo governador Romeu Zema em coletiva de imprensa transmitida ao vivo nesta terça-feira (24/3).

“Como o Expomimas está com a sua atividade interrompida, vamos aproveitar um galpão de 18 mil metros quadrados, climatizado e um pé-direito adequado para darmos início, a partir de amanhã, à construção de um hospital de campanha. Além disso, ainda temos a previsão de ofertarmos mais 100 leitos de alta complexidade em uma área anexa”, explicou.

Pela manhã, além do Expominas, o governador vistoriou o Hospital Mário Penna nesta terça-feira. A unidade hospitalar conta, atualmente, com uma área desativada e que pode ser utilizada com a mesma finalidade. “A forma mais fácil de adicionarmos novos leitos ao Sistema de Saúde é utilizarmos estruturas já preparadas, mas que se encontram ociosas”, disse.

O governador ressaltou que outros leitos serão ampliados em hospitais no interior. A Polícia Militar começou a contatar prefeituras para ter um panorama de onde podem ser erguidos hospitais de campanha ou ampliados leitos em unidades já existentes. Uberlândia, Juiz de Fora, Barbacena e Divinópolis são municípios que apresentam potencial. Hoje, o SUS opera com cerca de 2 mil leitos em Minas. Metade desses estarão vagos com o cancelamento das cirurgias eletivas.

Foto: Pedro Gontijo / Imprensa MG

Doação

Durante a coletiva, o governador Romeu Zema anunciou que já está disponível um link site www.mg.gov.br com informações para pessoas físicas e jurídicas que desejam fazer doações de material e recursos financeiros. “Estamos recebendo muita solidariedade de empresas, entidades e pessoas que gostariam de fazer contribuições para combatermos a pandemia em Minas Gerais. Por meio deste link os interessados terão todas as informações necessárias”, explicou.

Turismo

Outra informação divulgada foi em relação à cadeia do turismo. A partir desta terça-feira (24/3) micro e pequenas empresas que compõem o setor terão condições de financiamento facilitadas pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG).

Os juros iniciais da linha de crédito caem de 7% ao ano (+ INPC) para 5% ao ano (+ INPC). Já o prazo de carência dobrou, passando de seis meses para 12 meses, com pagamento em até 48 meses.

Podem solicitar o crédito empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões e pertencentes a uma das mais de 90 atividades econômicas da cadeia do turismo, incluindo empresas de hospedagens, bares e restaurantes, transporte e agências de turismo, até negócios de produções artísticas, de teatro e dança, animação de festas, infraestrutura de eventos e aluguel de equipamentos.

Mas o governador adiantou que já está em estudo pelo BDMG a criação de linhas de créditos para empresas de todos os portes e que atuam nas demais áreas da economia. “É uma resposta do banco às empresas que estão sendo afetadas pela crise”, explicou.

ICMS

Um dado alarmante apresentado por Zema durante o pronunciamento foi em relação à previsão de queda da arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) com o impacto do novo coronavírus na economia mineira. Estima-se que a retração será de R$ 7,5 bilhões em 2020.

“A perda que estimávamos de R$ 2,5 bilhões pode atingir uma cifra três vezes maior, caso essa previsão pessimista se confirme. Isso nos deixa extremamente preocupados. A Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) já está atenta às medidas que poderão ser adotadas para nos adaptarmos a este novo cenário”, relatou.

Presente à coletiva, o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Otto Levy, chamou atenção para a dimensão do problema. “Nós estamos falando de duas folhas de pagamento do Estado. Significa que a economia de Minas perderá duas folhas até o final do ano”, enfatizou.

Saúde e Bem-estar

Funed habilita 19 laboratórios para o teste de coronavírus em Minas Gerais

Publicado

em

Foto: Agência Minas

Governo de Minas Gerais vai ampliar a rede de testes para o novo coronavírus. Único laboratório público em Minas Gerais, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) publicou nesta quinta-feira (2/4) a habilitação de outros 19 laboratórios aptos a realizar o diagnóstico para identificação da Covid-19. Com a ampliação da rede, a Funed prevê que serão processadas, por dia, 1,8 mil amostras. As análises vão subsidiar a tomada de decisões da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e o monitoramento efetivo da circulação do vírus.

O vice-presidente da Funed, Rodrigo Leite, destaca que a ampliação da rede de laboratórios é um ganho não somente para o governo como para toda a sociedade. “Com uma maior celeridade no diagnóstico dos exames é possível tomar decisões em tempo oportuno e contribuir para reduzir os efeitos da pandemia em nosso estado”, reforça.

A partir desta quinta-feira, os exames também serão realizados em Viçosa e Rio Paranaíba, pela Universidade Federal de Viçosa (UFV); em Diamantina, pela Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM); em Montes Claros, pela Unimontes; em Ipatinga, pelo Hospital Márcio Cunha, da Fundação São Francisco Xavier; em Sete Lagoas, pelo Laboratório Santa Lúcia; em Lagoa Santa, pelo Loci Genética Laboratorial, e em Pedro Leopoldo, pelo Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária (Mapa).

Em Belo Horizonte, além da Funed, os testes serão feitos pelos laboratórios da Fundação Hemominas; da Fiocruz Minas; da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); do São Marcos Saúde e Medicina Diagnóstica e do Símile Instituto de Imunologia Aplicada.

O método para a realização dos exames será o RT-PCR, que identifica o material genético, neste caso, o RNA do vírus presente na amostra. Essa técnica é indicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Habilitação

Entre os dias 23 e 26/3, a Funed abriu inscrições para os laboratórios interessados em fazer parte da RedeLab Covid-19. Pelo menos 120 instituições se cadastraram e, desses, 47 encaminharam o checklist obrigatório para avaliação. Após a avaliação da documentação, 19 laboratórios foram considerados aptos a ingressar na rede. Eles apresentaram atendimento aos requisitos da RDC 302 de 2005, nível de biossegurança NB2 e capacidade técnica e operacional para executar exames de RT-PCR em tempo real.

Até a próxima terça-feira (7/4) será encaminhado aos laboratórios selecionados um termo de compromisso. O documento deve ser assinado, digitalizado e encaminhado via e-mail para a Funed até a próxima quinta-feira (9/4).

Parceiros e colaboradores

A Funed habilitou os laboratórios em duas categorias: parceiros e colaboradores. “Os parceiros trabalharão de forma integrada com os laboratórios da fundação, com fluxo contínuo de insumos, reagentes, equipamentos, processos e profissionais, ou seja, serão como uma extensão da própria Funed”, explica a diretora do Laboratório Central de Saúde Pública da Funed, Marluce Oliveira. Já os colaboradores, “terão mais autonomia e serão responsáveis por todas as fases do exame, desde o recebimento da amostra até a liberação do resultado no sistema”, complementa.

Confira neste link quais os laboratórios habilitados.

Continue lendo

Saúde e Bem-estar

Número de mortes por Covid-19 sobe de três para seis em Minas

Publicado

em

O número de mortes em Minas Gerais passou de três para seis de quarta para quinta-feira, 2 de abril. A informação consta no boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais – SES/MG, divulgado nesta manhã de hoje.

Além disso, outras 53 mortes pela Covid-19 estão em investigação no estado. Há 370 casos confirmados, um aumento de 56 casos em um dia, e 39.084 casos suspeitos.

As três mortes confirmadas nesta data são de pessoas residentes de Contagem, na região metropolitana, Juiz de Fora, na Zona da Mata, e São Gonçalo do Rio Preto, cidade na região central do estado.

A SES/MG não detalhou a idade e sexo dos novos óbitos divulgados, mas informou que dos seis óbitos confirmados até o momento, em quatro foi identificada a presença de comorbidades ou fatores de risco. Nos outros dois casos, as investigações permanecem sendo realizadas.

A faixa etária desses novos pacientes que não resistiram é de 20 a 59 anos, 60 a 79 anos e um caso acima de 80 anos de idade.

Continue lendo

Saúde e Bem-estar

UFU elabora estudo sobre custo de 100 leitos de UTI de Campanha e envia ao Ministério da Saúde

Publicado

em

Estimativa de custos com equipamentos médicos, materiais e estrutura, para 100 pacientes, é de R$ 15.321.181,94 e gastos no valor de R$ 213.431,94 com gases medicinais, a cada 24 horas. (Foto: Marco Cavalcanti)

Atendendo a uma demanda do Ministério da Saúde (MS), o Núcleo de Inovação e Avaliação Tecnológica em Saúde (Niats), da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), produziu um estudo para a composição do custo de 100 leitos de UTI de Campanha, que disponham dos mesmos recursos tecnológicos presentes em leitos de UTI de hospitais de caráter permanente, incluindo a oferta de gases medicinais como oxigênio e ar comprimido medicinal. O relatório – acesse AQUI – foi concluído na segunda-feira, 30, momento em que o MS constatou elevação da chamada curva de expansão do perfil epidemiológico Covid-19 no país, o que exige o uso emergencial de recursos para montagem de leitos adicionais de UTI, principalmente nos grandes centros urbanos com maior número de casos da doença.

Segundo uma das coordenadoras do Niats, Selma Terezinha Milagre, da Faculdade de Engenharia Elétrica (Feelt/ UFU), a Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS), metodologia utilizada no estudo, é uma importante ferramenta para a análise de medicamentos, equipamentos médico-assistenciais, procedimentos e protocolos, dentre outras tecnologias em saúde. “A ATS é a metodologia baseada em evidência científica que tem sido utilizada em diversas frentes. Tem salvado vidas, evitado gastos excessivos em saúde e possibilitado melhor aplicação dos recursos e melhor embasamento nos processos de tomada de decisão”, sintetiza.

De acordo com o estudo, a estimativa de custos com equipamentos médicos, materiais e estrutura adequada para a administração dos gases medicinais, necessária para receber 100 pacientes, é de R$ 15.321.181,94. Nesta previsão não estão incluídos investimentos em infraestrutura elétrica, hidráulica e gerenciamento de resíduos. Para o atendimento dos casos graves da doença, o estudo aponta a estimativa de gastos com gases medicinais, a cada período de 24 horas, no valor de R$ 213.431,94.

Selma Milagre comenta que participaram do estudo três pesquisadores do Niats, sete estudantes de graduação e de pós-graduação em Engenharia Biomédica da UFU, com a colaboração de três pós-graduandos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Os resultados foram enviados ao Ministério da Saúde e compartilhados com a Direção do Hospital de Clínicas (HC/UFU) e a Secretaria Municipal de Saúde de Uberlândia. Os dados poderão ser utilizados por outras entidades e órgãos de saúde como subsídio técnico-científico para a tomada de decisões relacionadas ao enfrentamento da Covid-19.

Histórico

Criado em 2011, o Núcleo de Inovação e Avaliação Tecnológica em Saúde é um grupo de pesquisa vinculado ao curso de Engenharia Biomédica, da Faculdade de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Uberlândia, cadastrado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e reconhecido pelo Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia (DECIT). Desde 2012, o grupo é membro da Rede Brasileira de Avaliação de Tecnologias em Saúde (Rebrats), braço científico do MS que estabelece a ponte entre pesquisa, política e gestão, fornecendo subsídios para decisões de incorporação, monitoramento e abandono de tecnologias em saúde no Brasil.

Continue lendo

+ lidas