conecte-se conosco

Uncategorized

Corpo de Bombeiros de Ituiutaba dá dicas para evitar acidentes com fogos de artifício

Publicado

em

fogos
Com a virada do ano, muitas pessoas compram fogos de artifício dos mais diversos tipos para comemorar a data. No entanto, é preciso algumas precauções para que a alegria do ano não se torne uma tragédia.
O primeiro passo é evitar a compra de material clandestino. “É importante observar se o local de venda é credenciado pelo Corpo de Bombeiros”. “Nessas lojas, os vendedores passam por um treinamento para que estejam em condições de orientar os usuários sobre as medidas de segurança para utilizarem os fogos.
 
Precauções

  • Sempre leia e siga as instruções na embalagem;
  • Sempre use fogos em locais abertos;
  • Sempre armazene fogos em local frio e seco;
  • Sempre solte fogos sob a supervisão de adultos e de acordo com a sua idade;
  • Nunca tente reutilizar os fogos que tenham falhado;
  • Nunca atire fogos na direção de outras pessoas;
  • Nunca atire fogos de lugares fechados, como carros ou residências;
  • Nunca faça experiências, modifique ou tente fazer seus próprios fogos de artifício;
  • Nunca utilize fogos após ingerir BEBIDAS ALCÓOLICAS.
  • Não desmontar os fogos.
  • Não fumar dentro dos estabelecimentos que vendem fogos.
  • Antes de usar um produto, ler cuidadosamente as instruções impressas nas embalagens e ter cuidado ao segurar os fogos para evitar acidentes.

Os bombeiros orientam também que a primeira providência para quem comprar os fogos de artifício é ler atentamente as instruções contidas na embalagem. “Mesmo com a orientação do vendedor, é indispensável ler todo manual para o manuseio correto e evitar acidentes”, alerta. Os bombeiros alertam também que os fogos devem sempre ser soltos em locais abertos e distantes de material combustível e áreas de concentração de público. Os bombeiros lembram que há fogos específicos para crianças, adultos e profissionais e que essa classificação deve ser respeitada. As outras dicas são nunca armazená-los em locais úmidos e nem tentar a sua reutilização, caso tenham falhado. “Mas a principal orientação é nunca soltar fogos após uso de bebida alcoólica. Álcool e fogos não combinam”, alerta.
Dentre os principais acidentes causados pelos fogos estão as queimaduras, amputação dos dedos e das mãos, cegueira e trauma acústico provocado pelo barulho da explosão.
Veja a classificação dos fogos:
Classe A (Infantil) – Podem ser vendidos a menores e sua queima é livre (recomendável assistência de adultos)
Classe B (Juvenil) – Podem ser vendidos a menores, mas a sua queima é proibida em terraços, portas ou janelas que tenham proximidade com vias públicas (recomendável assistência de adultos)
Classe C (Adulto) – Venda proibida a menores de 18 anos
Classe D (Profissionais) – Venda proibida a menores de 18 anos. Só pode ser queimado com licença prévia da autoridade competente
Dicas de Primeiros Socorros
Em caso de acidente acione os Bombeiros Imediatamente através do telefone 193!
Cubra o local afetado com um pano limpo. Nunca fure as bolhas, elas ajudam a proteger a área queimada
Não retire roupas grudadas, fragmentos de objetos ou graxas das lesões
Não use pomadas sem ordem médica, nem toque as lesões com as mãos
Procure socorro médico imediatamente. Se houver sangramento, faça um curativo com gaze ou um pano bem limpo até a chegada do socorro. Seguir as orientações é fundamental para evitar os acidentes.

BOMBEIRO: O AMIGO CERTO NAS HORAS INCERTAS!

Anúncio

Uncategorized

Ney da Matta é o novo treinado do Boa Esporte Clube

Publicado

em

neydamatta_diariodoacao
Roneivaldo da Matta Soares (56) anos, (Ney da Matta) é o novo treinador do Boa Esporte para a temporada.
A contratação do novo técnico se deu logo após o termino da Série B. Após cinco anos o treinador volta ao comando técnico do Boa Esporte. Ney teve uma bela e vitoriosa passagem pelo Ituiutaba, hoje Boa Esporte em 2008, onde disputou a série C no formato antigo de grupos. Participavam na época do campeonato 64 equipes. O Boa Esporte terminou a competição em 10º lugar, realizando naquele campeonato 18 jogos, conquistando 34 pontos em 10 vitórias 4 empates e 4 derrotas.
Ney da Matta irá conhecer seus novos comandados a partir de 2 de janeiro em Ituiutaba onde o Boa Esporte realizará a pré-temporada.

Continue lendo

Uncategorized

Governo de Minas concretiza reforma administrativa com fusões e extinções de órgãos

Publicado

em

Total de secretarias será reduzido de 23 para 17. Exonerações e nomeações de Secretários foram publicadas no “Minas Gerais” desta terça (31).

Dando sequência às medidas administrativas anunciadas no final de julho de 2013 pelo governador Antonio Anastasia, o jornal “Minas Gerais” – Órgão Oficial dos Poderes do Estado – publicou nesta terça-feira (31), atos de exoneração e de nomeação de secretários de Estado decorrentes da extinção, fusão e redimensionamento de órgãos estaduais. As leis que instituem essa reforma administrativa foram publicadas na edição de sábado, (28), do “Minas Gerais”.
Com estes atos, a partir de 1º de janeiro de 2014, o total de secretarias do Governo de Minas será reduzido de 23 para 17.
Os atos publicados no “Minas Gerais” desta terça-feira (31) foram os seguintes:
–   Exoneração do Secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus, que reassume seu mandato na Assembleia Legislativa
–   Nomeação de Tiago Lacerda como titular da Secretaria de Estado de Turismo e Esportes, que incorpora também as funções da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo
–   Exoneração do secretário de Estado Extraordinário de Regularização Fundiária, Wander Borges, que reassume seu mandato na Assembleia Legislativa
–   Exoneração do secretário de Estado de Gestão Metropolitana, Alexandre Silveira, que reassume seu mandato na Câmara Federal.
–   Nomeação do deputado Cássio Soares como titular da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social
–   Nomeação do deputado José Silva como titular da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O atual titular da Pasta, Elmiro Nascimento, assumirá a vice-presidência da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa-MG).
Constam ainda da referida edição do Minas Gerais os atos de exoneração de ocupantes de cargos de direção das secretarias e entidades da administração indireta que foram extintas ou fundidas, bem como a nomeação daqueles que voltam a ocupar postos de direção. Na edição de sexta-feira (27), já havia sido publicada a exoneração do Secretário de Esportes e Juventude Eros Biondini, que retorna à Câmara Federal.
Economia de R$ 1,1 bilhão em 2013 e 2014
Além da extinção e da fusão de órgãos estaduais, as medidas administrativas que vêm sendo implementadas pelo Governo de Minas desde agosto de 2013, incluem, dentre outras, a redução de cargos em comissão e da frota de veículos, além da proibição de viagens e da contratação de consultorias.
A previsão é de que essas medidas proporcionarão uma economia de R$ 365 milhões para o Estado em 2013 e 2014. Entre agosto e dezembro de 2013, já foi alcançada uma economia de R$ 142 milhões, com a implantação de ações para redução de custos e a racionalização da máquina pública estadual. Esse valor é aproximadamente 35% superior aos R$ 105 milhões inicialmente previstos para serem economizados no período.
Dos R$ 142 milhões poupados com a redução de custos, R$ 90 milhões foram obtidos com o corte de custeio. O restante, R$ 52 milhões, é referente à economia anual já alcançada com o bloqueio de cargos de confiança, que atingiu 56,8% dos R$ 93 milhões previstos até 2014.
Um exemplo de redução de despesas de custeio é a restrição do uso de carros oficiais apenas por dirigentes máximos das administrações direta e indireta. Em função dessa medida, já foram devolvidos 78 veículos locados e 61 próprios, totalizando 139. A economia alcançada é de aproximadamente R$ 10,7 milhões por ano com locação de veículos, combustível e manutenção, entre outros. A alienação de 61 veículos devolvidos gerou uma receita de R$ 934,3 mil.
Em 2014, ainda será feita uma revisão das despesas de custeio do Estado que possibilitará uma economia adicional estimada em R$ 700 milhões, chegando a um total de R$ 1,1 bilhão economizados para os cofres estaduais.
De acordo com o governador Antonio Anastasia, a reestruturação administrativa tem como objetivo principal adaptar Minas Gerais à nova conjuntura decorrente da crise econômica internacional, que provocou queda nas atividades econômicas no país e levou a uma redução das receitas do Estado. “Trata-se de um contínuo processo de aperfeiçoamento do inovador modelo de gestão que foi implantado em Minas Gerais a partir de 2003”, afirma Anastasia. “Com essas medidas, o governo do Estado amplia o esforço de gastar menos com a máquina pública para possibilitar mais investimentos em infraestrutura e na melhoria da qualidade dos serviços públicos prestados aos cidadãos”.
Informações sobre a extinção e fusão de Secretarias e órgãos públicos
As alterações na estrutura do atual secretariado, com vigência a partir de 1º de janeiro, são as seguintes:
–   Secretaria de Trabalho e Emprego será fundida com a Secretaria de Desenvolvimento Social, que passará a denominar-se Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social.
–  Secretaria de Esportes será fundida com a Secretaria de Turismo e com a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo, originando a Secretaria de Estado de Turismo e Esportes. A área de Juventude passará a integrar a  Secretaria de Estado de Governo.
– Secretaria Extraordinária de Regularização Fundiária e o Instituto de Terras de Minas Gerais serão absorvidos pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento no que tange à regularização fundiária rural e pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana, no que tange à regularização urbana.
– Secretaria Extraordinária de Gestão Metropolitana será incorporada pela Secretaria de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana.
– O Departamento Estadual de Telecomunicações de Minas Gerais (Detel-MG) será mantido, sendo que parte de suas atribuições será transferida para a Fundação TV Minas e para a Ruralminas.
– A Administração dos Estádios de Minas Gerais (Ademg) será extinta, tendo suas competências finalísticas absorvidas pela nova Secretaria de Estado de Turismo e Esportes.
– Ainda na administração indireta serão fundidas quatro entidades: A Fundação Rural Mineira (Ruralminas) absorve as competências do Instituto de Terras do Estado de Minas Gerais (Iter-MG), no que tange à arrecadação das terras, e o Instituto de Geociências Aplicadas (IGA) absorve as competências da Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec-MG).
–  Órgãos e entidades nos quais serão extintos os cargos de vice-presidentes ou vice-diretoresEscola de Saúde Pública (ESP), Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (ARMBH), Agência Metropolitana do Vale do Aço (ARMVA), Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), Instituto Estadual de Florestas (IEF), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), Instituto de Geociências Aplicadas (IGA), Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Imprensa Oficial de Minas Gerais (IOF), Instituto de Metrologia e Qualidade do Estado de Minas Gerais (Ipem), Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop), Fundação Clóvis Salgado (FCS), Fundação Helena Antipoff (FHA), Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha), Fundação Rural Mineira (Ruralminas), Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater), Rádio Inconfidência.
A extinção da Secretaria Extraordinária para Coordenação de Investimentos ocorrerá no final de março de 2014.
Agência Minas
Continue lendo

Uncategorized

Número de caixas eletrônicos explodidos em 2013 cresce 12% em Minas

Publicado

em

banco brasil
A cada dia, bandidos explodiram em média um caixa eletrônico em Minas este ano. Levantamento da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) aponta aumento de 12% no número de crimes dessa natureza nos 11 primeiros meses de 2013 – quando 336 terminais foram estourados – em comparação com o mesmo período do ano passado, em que 300 houve ocorrências. Em Belo Horizonte, 19 explosões foram registradas no período, uma a mais do que o total de casos entre janeiro e novembro de 2012.
O aumento das ocorrências preocupa autoridades da área de segurança pública de Minas, que têm se mobilizado para conter a onda de explosões. Entre as ações, há uma tentativa de mudar o Código Penal. Hoje, a explosão de caixas não tem tipificação específica e é normalmente classificada como furto qualificado, com pena mais branda do que o roubo. A ideia é que o delito seja enquadrado como roubo, com punição que pode chegar a 10 anos de prisão e multa – dois anos a mais do que os oito anos estabelecidos para furto.
Para a secretária-adjunta de Defesa Social, Cássia Gontijo, as estatísticas, consideradas por ela insatisfatórias, refletem dois fatores principais: a facilidade para aquisição dos explosivos e a grande quantidade de máquinas para saque em locais sem segurança suficiente. “A dinamite é um produto controlado pelo Exército Brasileiro, que está buscando permanentemente melhorar as normas para controle do acesso ao material. Mas ainda há casos de desvio em locais de pedreiras”, diz Cássia. “Ter acesso ao detonador leva muitas pessoas, mesmo sem experiência, a se aventurar por esse tipo de crime”, acrescenta.
Investigações em Minas apontam ação de quadrilhas especializadas, mas também de um número alto de bandidos sem preparo para lidar com os detonadores, segundo Cássia. “Por esse motivo, em muitos casos, os criminosos fogem sem levar o dinheiro ou explodem até mesmo a agência bancária”, afirma. Desde março, quando começaram as fiscalizações da Operação Divisas Seguras, 300 quilos de explosivos foram apreendidos, além de 357 espoletas e cinco bobinas de cordel detonante, usadas para acionar a explosão. A operação, que engloba diversos órgãos de segurança, tem caráter preventivo e de combate à criminalidade.
A instalação de muitos caixas em pontos vulneráveis do ponto de vista da segurança também é apontada como um complicador pela Secretaria de Defesa Social. “Os bandidos buscam sempre os locais com menos vigilância, como supermercados e farmácias”, lembra Cássia Gontijo. Ela acrescenta que a falta de monitoramento nesses locais dificulta a prevenção.
Acordo com bancos
Desde que as explosões de caixas se tornaram crime recorrente em Minas e em outros estados, autoridades policiais convocaram instituições bancárias para atuar em conjunto no combate ao problema. “Os bancos foram orientados a aumentar os dispositivos de segurança nas agências, como a colocação de canhões de fumaça, que, acionados de forma eletrônica, impedem a visibilidade dos criminosos após a liberação da fumaça. O equipamento funciona diante do rompimento de uma porta ou de qualquer tentativa de rompimento do caixa eletrônico”, conta a secretária-adjunta de Defesa Social. Outra medida é a liberação de tinta nas notas de dinheiro que estiverem no caixa estourado. “Essa é uma alternativa que inviabiliza o crime, já que não há como repassar as notas manchadas. Com isso, o bandido fica desmotivado com a prática criminosa”, afirma Cássia Gontijo.
 
O crescimento dos casos de explosão de caixas eletrônicos levou os órgãos de segurança de Minas a formar um grupo para estudar as condições que levam à ocorrência do crime e atuar na repressão da prática. Fazem parte do trabalho as polícias Civil e Militar, o Ministério Público Estadual, o Corpo de Bombeiros, o Exército Brasileiro, as receitas Estadual e Federal e representantes do setor bancário. Além de estabelecer ações de combate, o grupo capacitou policiais e funcionários públicos desses órgãos em todo o estado.
Outra frente de atuação da força-tarefa é a tentativa de convencer o Congresso Nacional a tipificar a explosão de caixa eletrônico. Atualmente, a prática é enquadrada como crime de furto qualificado, com pena de 2 a 8 anos de prisão, mais multa aplicada pela Justiça. O grupo defende que o crime seja qualificado como roubo, com punição mais severa, de 4 a 10 anos, e multa.
Ataques em alta
Número de explosões de caixas entre janeiro e novembro aumento este ano em relação ao ano passado em Minas e em Belo Horizonte. Total de prisões também cresceu
Casos em Minas
2012    300
2013    336
Casos em BH
2012    15
2013    19
Prisões em Minas*
2012    146
2013    222
Prisões na Grande BH*
2012    35
2013    46

*Até 15 de dezembro
Fonte: Seds

 

Continue lendo

+ lidas

error: O conteúdo está protegido!!!